A WEG, em parceria com a Administração de Fernando de Noronha, a Renault do Brasil e a Polo, forneceu equipamentos para seis garagens com geração solar (Carport) com estação de recarga semirrápidas de 22kW da linha WEMOB (WEG Electric Mobility), para recarregar as baterias de íons de lítio de 28 veículos elétricos que já circulam pelo arquipélago.

O­ arquipélago Fernando de Noronha, localizado a 540 quilômetros de Recife, Pernambuco, é um destino turístico que recebe milhares de visitantes por ano.

Divulgação/WEG

Cerca de 70% do território pertence ao Parque Nacional Marinho, de proteção integral e considerado Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco, e os outros 30% são Área de Proteção Ambiental (APA).

As iniciativas foram criadas para proteger as condições de vida da fauna e da flora e conciliar a ocupação humana com a proteção ao Meio Ambiente.

 

 

Para harmonizar os recursos ambientais e o turismo, a ilha precisa receber inovações constantes para manter a sustentabilidade do paraíso natural.

Instalação de garagens solares

As garagens solares têm capacidade de gerar 26MWh por ano, o suficiente para cobrir o consumo elétrico de todos os veículos zero emissão que circulam na ilha.

Essa energia gerada é equivalente a 180 mil quilômetros rodados sem a geração de CO2, o que vai evitar a queima de aproximadamente 20.000 litros de combustível fóssil.

Além disso, o excedente de energia gerado pelas garagens solares serão direcionados para o consumo da população local, gerando zero de desperdício.

“Nosso objetivo com esta ação é incentivar ações de sustentabilidade com a utilização de energias renováveis, neste caso solar, além da mobilidade elétrica evitando impactos ambientes em Fernando de Noronha”, explica Manfred Peter Johann, Diretor Superintendente da WEG Automação.

Atualmente, 11% da energia consumida no arquipélago vêm das usinas solares Noronha I e II, também equipadas com sistemas solares da WEG.

“Com a ajuda da Renault e da Polo estamos evitando o lançamento de mais emissão de dióxido de carbono no território, e também ampliando a geração de energia renovável na ilha”, acrescenta Johann.

Modernização da indústria

Para a Renault o projeto é uma resposta ao Decreto-lei assinado pelo governo do estado de Pernambuco que proibirá a entrada de veículos a combustão no arquipélago a partir de 2022.

A lei prevê ainda a retirada de todos os veículos movidos a combustão da Ilha a partir de 2030.

“A Renault quer trazer modernidade à indústria automobilística, este projeto em Fernando de Noronha, patrimônio do Brasil, faz parte da nossa estratégia de sermos uma empresa de tecnologia, serviços e energia limpa”, explica Ricardo Gondo, presidente da Renault do Brasil.