Na tarde desta quarta-feira (24), o governo federal detalhou as regras para liberação dos saques de contas ativas e inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do Programa de Integração Social (PIS).

Mais cedo, o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse que o saque do FGTS será limitado a R$ 500 e poderá ser feito de agosto de 2019 a março de 2020.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que a liberação de recursos do FGTS e do PIS totalizará R$ 42 bilhões até o fim do ano que vem.

Segundo ele, a injeção de recursos na economia deverá somar R$ 30 bilhões neste ano e R$ 12 bilhões em 2020.

 

 

Uma das maiores novidades anunciadas é que a partir do próximo ano, o trabalhador poderá optar pelo modelo "saque-aniversário".

Nessa modalidade, saques anuais poderão ser realizados. Quem se interessar em migrar para este modelo, deve comunicar a Caixa Econômica Federal, a partir de outubro de 2019.

A migração não é obrigatória e caso o trabalhador não expresse o desejo de mudar a modalidade de saque, ela permanecerá como é hoje com o recebimento do valor no momento da rescisão.

O prazo para a retirada do valor nesta modalidade será de três meses com início no primeiro dia do mês em que o trabalhador comemora seu aniversário.

Caso o valor não seja sacado, ele volta para a conta do FGTS.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito: 

WhatsApp  

Telegram  

Facebook Messenger