Fila de carro em posto de Joinville | Foto Windson Prado / OCP News
Fila de carro em posto de Joinville | Foto Windson Prado / OCP News

A paralisação nacional dos caminhoneiros, que já dura três dias, continua a apresentar efeitos no dia a dia dos brasileiros. Em Santa Catarina, postos de diversas regiões sinalizaram a falta de combustível.

Com receio de que falte combustíveis, os consumidores protagonizam uma verdadeira corrida a vários estabelecimentos. Cenas de pessoas com galões para comprar combustíveis passaram a se repetir nas longas filas que se formaram em alguns estabelecimentos.

Fila de motoristas em posto de combustíveis na BR-101, em Barra Velha | Foto Luís Zimmermann/ Divulgação/OCP

A preocupação faz sentido, pois na tarde desta quarta-feira (23), postos de pelo menos quatro regiões do Estado já estavam com as bombas de combustíveis secas em função da paralisação nacional dos caminhoneiros, em protesto aos constantes aumentos dos valores do óleo diesel e demais combustíveis.

Quer receber notícias no WhatsApp? Clique aqui

Com o risco de desabastecimento, consumidores têm formado filas de carros nos postos. Os aglomerados foram registrados em cidades como Florianópolis, Joinville e Jaraguá do Sul.

Na região Norte-Nordeste do Estado, cidades como São Bento do Sul, Campo Alegre, Canoinhas, Mafra e São Francisco do Sul foram as primeiras a sentir o desabastecimento. Em Corupá, dois postos já anunciaram que vai faltar combustível. Em Jaraguá do Sul, já tem postos em que há falta de gasolina comum e etanol.

Em alguns postos de Jaraguá do Sul já há falta de gasolina comum e etanol | Foto Max Pires/OCP

A paralisação, motivada pelo aumento dos valores do óleo diesel, causou a interrupção das atividades de grandes empresas do ramo alimentício e de serviços como a coleta de lixo em alguns municípios.

No fim da tarde, na tentativa de conter os reflexos do movimento, a Petrobras anunciou redução no preço do diesel em 10% nas refinarias.

Mais sobre a paralisação dos caminhoneiros:

Postos de quatro regiões de SC registram falta de combustível

Indústria alimentícia sente efeitos da paralisação

Motoristas de vans apoiam movimento dos caminhoneiros