O crescimento do lucro líquido da WEG superou, proporcionalmente, o crescimento de uma das maiores lideranças do setor de tecnologia. Com alta de 120,6% em comparação com o mesmo período do ano passado, o crescimento proporcional da Jaraguaense superou o da californiana Apple, que cresceu 93% no mesmo período.

A WEG registrou um lucro líquido de R$ 1,13 bilhão no segundo trimestre de 2021. Em comparação com o trimestre passado, a alta foi de 48,5%. Por sua vez, a fabricante de computadores e celulares de Cupertino, na Califórnia, teve um lucro líquido de US$ 21,7 bilhões - montante significativamente maior.

Mas enquanto o cenário de pandemia global beneficiou a Apple, com um boom na demanda por dispositivos inteligentes em meio ao isolamento, para o setor de bens de capital e maquinário o cenário foi marcado por uma retomada de uma economia parada - tornando os resultados da WEG ainda mais expressivos em comparação.

De acordo com a companhia, o resultado foi beneficiado pela continuidade da demanda consistente no mercado doméstico, bem como pela aceleração da atividade industrial no exterior.

O lucro líquido também foi beneficiado pelo reconhecimento dos créditos tributários referentes à exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS e Cofins.

Além dos efeitos no lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês), a WEG também teve um impacto positivo no resultado financeiro, de R$ 129,9 milhões, e um aumento no imposto de renda auferido destes créditos, de R$ 147,5 milhões.

Desconsiderados os efeitos não recorrentes, o lucro líquido foi de R$ 851,9 milhões entre abril e junho, crescimento de 65,6% na base anual, com uma margem líquida de 14,8%.