Projetos inovadores da rede municipal de saúde de Joinville são premiados

Foto: Prefeitura de Joinville

Por: OCP News Joinville

27/10/2023 - 20:10 - Atualizada em: 27/10/2023 - 20:54

Os projetos vencedores da 8ª edição do Prêmio Práticas Inovadoras da Saúde de Joinville foram conhecidos nesta sexta-feira (27), em cerimônia realizada na Univille.

O objetivo da premiação é reconhecer ações realizadas por profissionais da área, proporcionar a integração dos servidores com a troca de experiências e buscar a melhoria na qualidade dos serviços prestados à população joinvilense.

 

 

“Esse prêmio nos dá a possibilidade de conhecer o trabalho e a criatividade de cada equipe. Saber que temos profissionais com o potencial que temos, que realizam projetos que perduram por anos, é uma alegria. Tenho orgulho de trabalhar com profissionais tão competentes e saber o quanto se esforçam para fazer o melhor”, avalia a secretária de Saúde de Joinville, Tânia Eberhardt.

Em oito anos de premiação, foram mais de 350 trabalhos inscritos com práticas assistenciais e gerenciais de destaque. Nesse ano, foram 56 trabalhos submetidos e 52 oficialmente homologados. Nessa oitava edição, foram 15 trabalhos finalistas em cada eixo, totalizando 30 finalistas. Os eixos foram divididos em Eixo 1 (Assistência à Saúde) e Eixo 2 (Gestão e Informação em Saúde).

No Eixo 1, o primeiro lugar ficou com o trabalho “Sois – Serviços Organizados de Inclusão Social”, de Rogério Aparecido Amâncio.

A ideia do projeto é fomentar o processo de reinclusão social das pessoas com transtornos mentais graves e persistentes, promover atividades socioculturais e valorizar o indivíduo na sua integralidade, resgatando habilidades e desenvolvendo potencialidades.

“É muita alegria, o SOIS é uma experiência exitosa há 18 anos já. É um serviço de saúde mental que trabalha a inclusão social de pessoas com transtorno mental grave e persistente. Estamos inovando há 18 anos com um serviço de prevenção para evitar que nossos usuários voltem a crise e porque a gente acredita na prevenção”, diz o coordenador do SOIS, Rogério Aparecido Amâncio.

Em segundo lugar, ficou o trabalho “Efeito de um programa de atividade física no SUS em pacientes acometidos por AVC”, de Tulio Gamio Dias. A intervenção contribuiu na melhora da qualidade de vida, por meio da atividade física em grupo para pacientes adultos e idosos que sofreram AVC.

A terceira colocação nesse eixo foi o trabalho “Ambulatório de bloqueio neuromuscular com toxina botulínica”, de Flávio Diniz Ribas. A iniciativa mostrou a inserção dos pacientes no tratamento no ambulatório de bloqueio neuromuscular com toxina botulínica através dos médicos da saúde da família, neurologistas e outras especialidades médicas.

No Eixo 2 (Gestão e Informação em Saúde), o primeiro lugar ficou com o trabalho “Aplicação de ferramenta para superar a meta do Indicador 3 do Previne Brasil na UBSF Parque Guarani”, de Jéssica Fischer.

A ação traz o uso da planilha compartilhada pela equipe da saúde da família que otimizou o controle do atendimento odontológico das gestantes da UBSF Parque Guarani, superando a meta do Programa Previne Brasil, atingindo 100% das gestantes acompanhadas.

“Um trabalho a princípio simples, mas que é uma ferramenta fácil, sem custo nenhum e que todas as unidades poderiam usar para atingir a meta de odontologia do programa Previne Brasil. Estava difícil atender a meta de 70%, muitas gestantes não faziam o agendamento. Com o comprometimento de toda a equipe, fizemos uma planilha, já deixando a consulta agendada com a odontologia depois da consulta médica. Foi possível fortalecer o vínculo com a equipe, prestar o atendimento necessário e ter ótimos resultados nos indicadores”, explica Jéssica.

Em segundo lugar ficou o trabalho “Gerenciador de Atendimento Diário – Ferramenta de Qualidade Implantada em Unidades de Saúde de Joinville”, de Márcia Hattenhauer. O gerenciador alcançou os indicadores assistenciais relacionados à eficiência de atendimento ao usuário e melhoria dos serviços. Também permite aos gestores o monitoramento em tempo real do fluxo diário do Pronto Atendimento.

A terceira colocação foi para o trabalho “Unidade de Saúde Digital: A Teleconsulta como ferramenta de reorganização da Assistência à Saúde”, de Vanessa Cardoso Pacheco. A autora mostrou que a teleconsulta amplia o acesso e atende os princípios básicos de qualidade dos cuidados de saúde.