Prefeitura repassa recursos do FMDCA para a Apae de Jaraguá do Sul

Foto: Divulgação PMJS

Por: Isabelle Stringari Ribeiro

30/08/2023 - 15:08 - Atualizada em: 30/08/2023 - 15:51

A Prefeitura de Jaraguá do Sul, por meio da Secretaria de Assistência Social e Habitação, assinou mais um importante convênio na área social, repassando R$ 84.095,54 do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (FMDCA) para a Apae local. A assinatura aconteceu nesta terça-feira (29).

De acordo com a Secretaria de Assistência Social e Habitação, a parceria com a Apae permitirá à entidade adquirir e reformar materiais e equipamentos, ampliando as possibilidades e condições para trabalhar o desenvolvimento de adolescentes de seis a 17 anos, que possuem diagnóstico de deficiência intelectual grave ou profunda. O termo de fomento foi formalizado com a presença de representantes da Apae e da Secretaria Municipal da Assistência Social, no gabinete do secretário da pasta, Terres da Silva.

A vice-presidente da Apae, Elisabete Barbosa, reforça a importância do trabalho em parceria e dos investimentos na formação de pessoas com deficiência.

“São parcerias fundamentais para o avanço e aperfeiçoamento dos serviços prestados pela entidade. O propósito é inovar os atendimentos do programa Serviço Pedagógico Específico (SPE). Promovendo a garantia de direitos, conforto e segurança aos usuários”, afirma. “Trabalharemos no desenvolvimento da percepção sensorial e motora, buscando a evolução desses cidadãos”, completa.

O secretário Terres da Silva, enalteceu a importância dessas parcerias para a melhoria dos trabalhos oferecidos por Organizações da Sociedade Civil (OSC’s) – que estejam inscritas junto aos conselhos.

“Uma vez a entidade cumprindo todas as etapas do processo, é importante que o trâmite seja rápido. Pois o dinheiro que tanto precisam está disponível e precisamos movimentar esses recursos”, explica. De acordo com Terres, é do interesse da administração que o dinheiro dos fundos sejam investidos nas melhorias que se fazem necessárias.

“Não basta ter os valores, é preciso movimentá-los. Em breve virão novos editais e se for preciso faremos uma força-tarefa para dar vazão às demandas. A determinação é agilizar os encaminhamentos e faremos isso acontecer”, garante.