Prefeitura de Jaraguá do Sul orienta produtores rurais sobre vacinação contra a raiva bovina

Foto: Divulgação PMJS

Por: Isabelle Stringari Ribeiro

13/06/2023 - 11:06 - Atualizada em: 13/06/2023 - 11:18

A Secretaria de Desenvolvimento Rural e Abastecimento da Prefeitura de Jaraguá do Sul está orientando os produtores rurais cadastrados no município a vacinarem seus animais contra doenças que podem afetar seu rebanho, incluindo a raiva bovina. Essa enfermidade, que apresenta sinais característicos, não possui tratamento, mas pode ser controlada por meio da vacinação regular.

O secretário de Desenvolvimento Rural e Abastecimento, Marcos Voltolini, destaca a importância da vacinação anual dos animais e ressalta essa medida devido aos recentes casos de animais que testaram positivo para raiva no município.

A raiva é uma doença aguda causada por um vírus que ataca o sistema nervoso central de animais e seres humanos. Nos animais de produção, é transmitida principalmente por mordedura ou lambedura de morcegos hematófagos da espécie Desmodus rotundus durante a alimentação.

Foto: Divulgação PMJS

A veterinária da Secretaria de Desenvolvimento Rural, Claudia Schwarzbold Feldens, explica que os sinais clínicos em bovinos e equinos incluem isolamento, dificuldade de locomoção, paralisia, tremores musculares, salivação, decúbito e opistótono (posição em arco côncavo para trás da cabeça e pescoço). A doença é 100% letal, resultando em óbito por paralisia respiratória, normalmente ocorrendo até o 13º dia após os primeiros sintomas. A raiva é uma doença endêmica no Brasil, tornando sua erradicação impossível.

“Essa é uma doença endêmica no Brasil, sendo impossível erradicá-la. A prevenção da raiva em herbívoros ocorre principalmente com a vacinação dos animais, além disso a Cidasc (Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina) realiza o monitoramento de abrigos de morcegos hematófagos e faz sua captura em áreas onde há registros de ataques aos animais”, explicou a veterinária.

A prevenção da raiva em herbívoros ocorre principalmente por meio da vacinação dos animais, e a Cidasc (Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina) realiza o monitoramento de abrigos de morcegos hematófagos e sua captura em áreas onde há registros de ataques aos animais.

Claudia ressalta que a vacinação inicial deve ser feita em duas doses, seguida de revacinação anual com dose única. É importante notificar qualquer caso suspeito para monitoramento.

SERVIÇO
Contatos Importantes

  • Atendimento de animais de produção para Produtores Cadastrados na Secretaria de Desenvolvimento Rural – telefone (47) 2106-8113;
  • Comunicação de caso suspeito em herbívoros e notificação de mordedura em animais para captura de morcego – Cidasc – (47) 3276-9313;
  • Morcego encontrado morto: Setor de Zoonoses/Secretaria de Saúde – (47) 2106-8308.

Notícias no celular

Whatsapp