Mais de 90 espécies de aves são avistadas em Encontro de Observadores

Foto: Elenice Griboski

Por: Pedro Leal

30/10/2023 - 15:10 - Atualizada em: 30/10/2023 - 15:35

Aproximadamente 50 especialistas e entusiastas na observação de pássaros vindos de cidades como Blumenau, Timbó, Joinville, Imbituba, Florianópolis, Schroeder, Balneário Camboriú, Pomerode, Jaraguá do Sul e Corupá se reuniram neste fim de semana no Parque Natural Morro dos Stinghen. Ali ocorreu o 1º Encontro Regional de Observadores de Aves que fez parte da programação de aniversário de 18 anos da Fundação Jaraguaense de Meio Ambiente (Fujama). A iniciativa teve apoio do Grupo Yes Bird.

O presidente da Fujama, Ivo Schmitt, explicou que por ser o primeiro do gênero o encontro foi voltado a pessoas que já praticam a observação de aves. “Reunimos aqui participantes como biólogos pessoas ligadas à causa ambiental com conhecimento extremamente técnico, habilidade e amplo conhecimento neste tipo de observação”. Schmitt acrescenta que futuramente outras iniciativas como esta devem ser realizadas, mas para o público em geral.

O roteiro do encontro começou na noite de sábado (28) com a chamada Corujada na qual ocorreu a observação de aves noturnas. No domingo (29), a programação iniciou cedo, às 5h45, com a concentração na sede do Parque com saída para observação de aves a partir das 6 horas. A trilha foi conduzida pelos ornitólogos Leandro Corrêa e Glauco Kohler. Ao todo foram observadas 92 espécies de aves, entre noturnas e diurnas. “O que chamou mais atenção é que parte dos pássaros avistados fazem parte da lista do sistema Wiki-Aves como ameaçadas”.

Entre as espécies que constam na lista foram vistos exemplares de chokinha-de-dorso-vermelho, pica-pau-bufador, gavião-pato, papo-branco, bico-de-pimenta e cigarrinha-do-sul. Desde a abertura do Parque Morro do Stinghen em 2016 já foram avistadas naquele local 407 espécies de aves. “Algo que torna este local um das referências do Estado para este tipo de observação”, destacou o presidente da Fujama.

Além do trabalho em campo, também ocorreram alguns painéis promovidos por Leandro Corrêa e pelo botânico Anderson Kassner Filhos. Também foi apresentado a 2ª edição do livro Aves Catarinenses pelo seu próprio autor, o biólogo Cristiano Voitina. O encontro se encerrou com a soltura de aves que foram apreendidas e reabilitadas pelo Instituto Catarinense de Meio Ambiente (IMA).