Gerar: conheça o trabalho do grupo que tem a nobre tarefa de salvar vidas

Foto: Divulgação

Por: Elisângela Pezzutti

20/02/2024 - 06:02

As enchentes e desmoronamentos que atingiram Jaraguá do Sul e outros municípios catarinenses de forma trágica em 2008 foram um impulso para a criação do Grupo de Resgate de Alto Risco – Gerar. Jefferson Rank, que hoje integra o Águia da Polícia Militar de Santa Catarina, é um de seus fundadores e conta que sua criação teve, como um dos principais objetivos, reunir interessados em aperfeiçoar técnicas de resgate urbano.

“Os desastres naturais de 2008 mostraram que havia a necessidade de pessoas com uma capacitação específica e com um treinamento acima da média para esse tipo de situação”, explica. De acordo com Rank, no decorrer dos anos, o Gerar se voltou muito mais para situações de resgate e salvamento em operações de desastres. “Isso fez com que a gente conseguisse atuar em muitos desastres naturais, trazendo experiência para o grupo e, principalmente, vendo as principais necessidades de melhoria também, para que a cada desastre natural a gente pudesse melhorar ainda mais o atendimento à comunidade”, completa.

Jefferson Rank destacou que as enchentes e desmoronamentos de 2008 mostraram que havia a necessidade de pessoas com uma capacitação específica e com um treinamento acima da média para enfrentar esse tipo de situação | Foto: Arquivo pessoal

Associação civil sem fins lucrativos

O Gerar foi fundado em Jaraguá do Sul em 18 de agosto de 2009, como uma associação civil sem fins lucrativos, no intuito de prestar auxílio direto aos órgãos de segurança pública e defesa civil nacionais e internacionais, sempre que solicitado.

Formado essencialmente por bombeiros, policiais militares, profissionais da saúde e resgatistas, o grupo trabalha para dar segurança à comunidade na ocorrência de situações anormais e que envolvam riscos. Seu quadro de efetivo voluntário conta atualmente com 50 integrantes para operações multimissão, 6 membros na equipe médica e 13 no corpo administrativo.

Trabalho de cooperação

Com o objetivo de somar forças e servir como apoio aos recursos de resposta atuantes em todo território nacional e por acreditar que “somente com a integração e com o auxílio mútuo é possível chegar a resultados positivos, tornando o atendimento mais ágil em situações de desastre”, o Gerar possui parcerias e convênios com inúmeras entidades e órgãos.

Entre as inúmeras instituições com as quais o grupo mantém acordos de cooperação mútua estão os Bombeiros Voluntários e Bombeiros Militares de Santa Catarina; Defesa Civil dos municípios do Vale do Itapocu; Defesa Civil de Ibirama; Grupo de Resgate em Montanha, de Joinville; Corpo de Socorro em Montanha, de Morretes (PR); SOS Trauma, de Viamão (RS), e Força Tarefa Brasileira, de São Paulo (SP).

Mais de 150 acionamentos

Desde o início das atividades em 2009, o Gerar foi acionado cerca de 150 vezes, realizando em média um atendimento a cada dois meses, entre os quais se destacam o auxílio aos órgãos de segurança pública e defesa civil nas seguintes situações:

-Bombeiros Voluntários de Ibirama nos alagamentos e inundações ocorridos na região, especialmente na cidade de Lontras;
-Bombeiros Voluntários de Corupá nas buscas pela aeronave que caiu na região de São Bento do Sul;
-Defesa Civil e Bombeiros Militares de Barra Velha nos alagamentos ocorridos em abril de 2013;
-Defesa Civil de Jaraguá do Sul nos alagamentos ocorridos em junho de 2014 e nos incêndios florestais registrados em 2017, 2018 e 2019;
-Defesa Civil e Bombeiros Militares de Guaratuba (PR) nos alagamentos ocorridos em fevereiro de 2019;
-Defesa Civil e Bombeiros Voluntários de Jaraguá do Sul e aos Bombeiros Militares de Garuva na ocorrência do ciclone bomba em junho de 2020;
-Defesa Civil de Presidente Getúlio e Força Tarefa dos Bombeiros Militares Santa Catarina
em virtude do deslizamento de terra e detritos em dezembro de 2020.
-Defesa Civil de São João Batista em decorrência do deslizamento de terra e detritos em
dezembro de 2022;
-Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina na cidade de Guaratuba (PR), no deslizamento de terra e detritos na BR-376, em dezembro de 2022;
-Bombeiros Voluntários de Jaraguá do Sul, Corupá e Guaramirim, em virtude das fortes chuvas ocorridas nos meses de janeiro e março de 2011, 2014, 2017, 2019, 2020, 2022 e 2023;
-Defesa Civil, Bombeiros Voluntários de Ascurra e Bombeiros Militares de Santa Catarina em virtude de deslizamento de terra e detritos em janeiro de 2023.

Foto: Divulgação

Estrutura e organização

O Gerar conta com uma equipe de resgate técnico, composta por resgatistas, bombeiros, médicos, enfermeiros e especialistas em diversas áreas de atendimento de emergência.

Entre as funções do Gerar estão o reconhecimento e levantamento de áreas afetadas, identificação de perigos e ações para reduzir o nível de risco, isolamento de materiais perigosos, busca e salvamento de superfície, atendimento médico e desencarceramento de vítimas e auxílio às equipes internacionais para que se integrem aos acordos locais de gerenciamento de emergência.

Nas últimas operações, o grupo atuou em conjunto com outras entidades, montando um Sistema de Comando de Operações para organizar e padronizar o atendimento. Com isso, é possível diminuir o potencial de falha nas operações, expandindo a base de conhecimento dos membros da equipe e auxiliando na formação de novos voluntários.

Os integrantes do Gerar participam de treinamentos constantes com as corporações parceiras, trocando experiências e compartilhando experiências.

Foto: Divulgação

Uso de recursos próprios

O presidente do Gerar, Edson Roberto Schmidt, destaca que o grupo sempre esteve à disposição da população em geral, não apenas de Jaraguá do Sul e de Santa Catarina, mas também do Brasil e até mesmo de outros países. Ele destaca que desde a sua fundação, o grupo sempre se manteve com recursos dos próprios integrantes.

“Recebemos apoio de algumas entidades no decorrer do tempo, como a doação de uma carretinha e de equipamentos feita pelo Rotary. Agora, nesta nova gestão, colocamos como meta a busca por uma viatura própria e com a ajuda de nosso conterrâneo Charles Salvador, do Jeep Club, e através do nosso deputado estadual Dr. Vicente Caropreso (PSDB) conseguimos recursos para este fim”, detalha.

O presidente do Gerar, Edson Roberto Schmidt, informou que o grupo está em busca de uma subvenção mensal para ajudar nos custos fixos | Foto: Divulgação

 

Schmidt ressalta, ainda, a emenda parlamentar no valor de R$ 400 mil que deve ser destinada ao Gerar ainda este ano. O recurso foi garantido por intermédio do vereador jaraguaense Rodrigo Livramento (Novo) junto ao deputado federal Gilson Marques (Novo) e será utilizado para a compra de equipamentos.

“Estaremos melhor equipados e preparados para atender a população de Jaraguá do Sul e de qualquer outra cidade que precise de nosso trabalho. Seguimos ainda na busca de uma subvenção mensal para ajudar nos custos fixos, mas este ainda é um trabalho em andamento. Logo alcançaremos este objetivo também”, acredita o presidente.

Em agosto deste ano, o Gerar completa 15 anos de atividades e ainda não possui sede própria. Os equipamentos de resgate ficam guardados em uma pequena sala emprestada na Rodoviária de Jaraguá do Sul.

Dedicação e amor ao próximo

Para o diretor técnico da entidade, André Moura, o Gerar representa a cultura do voluntariado jaraguaense através de um grupo extremamente qualificado e disposto a ajudar e salvar vidas onde quer que elas estejam. “E é motivo de orgulho levar o nome do grupo e de Jaraguá do Sul a cidades pelas quais já fomos acionados”, diz Moura.

O diretor técnico do Gerar, André Moura, ressalta que é motivo de orgulho levar o nome do grupo e de Jaraguá do Sul no atendimento a outras cidades | Foto: Divulgação

 

Há 6 anos no grupo, o coordenador de operações Wanderlei Roberti afirma que fazer parte do Gerar é uma forma de amar ao próximo. “É o amor que te motiva a deixar tua família em casa, no inverno ou no calor do verão, para ir ajudar alguém, uma vida que precisa ser salva, ou para resgatar um corpo para a família fazer um velório digno. É o amor que faz a gente levantar num fim de semana bonito de sol e, em vez de sair com a família, ir treinar, se dedicar, apesar do cansaço, estar sempre pronto, sempre à disposição para a comunidade de uma forma especial”, define.

Wanderlei Roberti, coordenador de operações do grupo, diz que o amor ao próximo é sua motivação para fazer parte do Gerar | Foto: Divulgação

Confira a galeria de fotos:

Fotos: Divulgação