Dançarinos precisam de ajuda para ir a festival na Argentina

Por: OCP News Jaraguá do Sul

22/04/2016 - 04:04 - Atualizada em: 25/04/2016 - 07:33

O sonho de dançar fora do país está prestes a ser alcançado por jovens dançarinos da cidade. Alguns deles já realizaram essa faceta e agora abraçam outra oportunidade de mostrar o seu talento em solo argentino. Tudo isso porque os integrantes do grupo Liss Studio de Dança, de Jaraguá do Sul, foram convidados para participar do Festival Argentino Certamen Del Nea, que ocorre nos dias 7 e 8 de julho. Além de driblar a ansiedade e expectativa, o grupo trabalha desde outubro do ano passado para angariar recursos para custear a viagem e, enfim, concretizar o sonho.

Com 30 bailarinos, com idade a partir de três anos, e cerca de 20 pais engajados na causa, o grupo já promoveu noite do pastel, apresentações na praça e outros tantos eventos para captar recursos. As despesas, além do transporte e alimentação, giram também em torno dos figurinos e demais equipamentos necessários para a apresentação. Eles levarão para a cidade Misiones o espetáculo “No fundo do Baú” que reúne os estilos de balé, jazz e dança de rua. Segundo a professora de dança e coreógrafa, Stela Liss, a ideia foi montar um espetáculo que englobasse assuntos de todo o mundo. “A coreografia dos 30 bailarinos tem Elvis, Madonna, Beatles, Beyonce, todas músicas que abrangem os ritmos e são conhecidas por pessoas de diferentes países. Por se tratar de um espetáculo, também contém performances de teatro”, explica.

Stela conta que o convite do grupo foi uma obra do destino. Eles ocuparão a vaga antes reservada para um grupo mineiro, que não poderá ir para o festival. Por isso, os jaraguaenses – que participaram do festival em 2014 e ganharam premiações – foram convidados para completar a lista. “Essa primeira fase ocorre na Argentina e depois iremos para Las Vegas. Como ainda será tudo, não sabemos, mas estamos fazendo de tudo para conseguir”, enfatiza Stela. A etapa em Las Vegas ocorre apenas em fevereiro do próximo ano. “Para os dançarinos essa é uma ótima oportunidade porque a dança não trabalha só o físico, ela melhora a convivência e amplia a rede de amizade. Além disso, estamos representado a cidade lá fora”, diz.

A alegria de participar do festival não é só alimentada pelos dançarinos e pela professora. Os pais embarcaram juntos nessa e estão arregaçando as mangas para viabilizar a viagem. A mãe de Milena, 12 anos, Cristiane Gonçalves, é uma das que está radiante com a chance da filha dançar em solo argentino. Assumindo o papel de tesoureira do grupo, ela corre atrás de patrocinadores e parceiros. “Estou especialmente feliz e este é um marco para toda nossa família”, diz emocionada ao lembrar da luta que a filha já passou e a importância desse momento. Com cinco anos, a família descobriu que Milena tinha leucemia. Desde então, ela travou uma batalha para vencer a doença e saiu vitoriosa. “Esse ano ela recebeu alta e esse festival é como um troféu por tudo que ela passou”, enfatiza a mãe emocionada. A menina, que carrega um sorriso de orelha a orelha, é só felicidade. “Estou realizada porque vou conseguir dançar fora do país e representar nossa cidade”, diz. Os interessados em ajudar podem entrar em contato através do 8403-4419 ou pelo e-mail studio.artliss@gmail.com.