Você já se perguntou por que quer emagrecer? Qual é o seu objetivo? Ao esclarecer tais questões, o emagrecimento fica menos desafiador.

Tenha em mente que estamos escolhendo o tempo todo, temos o livre arbítrio, então, antes de consumir um alimento, “converse” com ele, observe e veja se vale a pena. Quando existe este diálogo interno antes de se servir, as escolhas são melhores e você vai se alimentar melhor e de forma mais consciente.

Comece a pensar nas mudanças de hábitos como algo benéfico para você, pense nos brindes: mais disposição, menos quilos, aumento da autoestima. Imagine como vai se sentir quando tiver dez quilos a menos? Pensando assim, mudando o foco, a chance de dar certo é muito maior. A neurociência explica muito bem esse processo: imagine como quer estar, sinta-se como se já tivesse conseguido e pratique por 21 dias. Assim, é possível criar novas conexões neuronais, ou seja, um novo caminho ao qual o seu cérebro não estava acostumado.

Mudar hábitos alimentares é fundamental! Praticar alguma modalidade de exercício é uma motivação a mais, além de todos os benefícios conhecidos. Também vale dormir mais cedo, já o sono é necessário para que os hormônios reguladores do apetite sejam liberados.

Outra dica importante é ingerir mais água, preferencialmente, entre as refeições. Muitas vezes, sentimos fome, quando na realidade é apenas sede. Comece, agora, a mudar as suas atitudes mentais e alimentares. O resultado na balança é a maior recompensa. Você consegue!

O que está faltando para você eliminar os quilos extras?

 

LEIA MAIS:

- Saúde da Mulher | Não existe monoterapia para o emagrecimento

- Saúde da Mulher | Atividade física: todo dia é dia de começar!

Cristiane Molon
Médica especializada em nutrologia com pós-graduação em Prática Ortomolecular e Saúde da Família, além de cursar especialização em Medicina do Esporte.
www.cristianemolon.com.br