Na última semana, foi destaque em toda mídia nacional a ação de policias militares que libertaram uma idosa feita refém por um assaltante. O caso aconteceu na quarta-feira (5), na cidade de Valença, no interior do estado do Rio de Janeiro.

A mulher de 83 anos, muito agradecida, chegou a presentear os policiais com flores. Em seguida, os agentes foram homenageados pelo Batalhão da Polícia Militar onde atuam com a medalha “Destaque Profissional”, adotada pela unidade para valorizar a tropa.

A ação terminou com a morte do criminoso e a vítima ficou com apenas um hematoma na mão em razão da queda que sofreu durante a abordagem.

A idosa foi feita refém após o criminoso roubar uma joalheria localizada na principal avenida no centro de Valença, por volta das 9h30 de quarta-feira. Ao deixar a loja com R$ 50 mil em joias, o bandido se deparou com a polícia e houve perseguição.

A cerca de um quilômetro do estabelecimento, o assaltante rendeu a idosa para usá-la como "escudo humano" e a vítima ficou durante 10 minutos com uma arma apontada para a cabeça, até o agressor ser exterminado.

Graças à mudança que o país está vivendo, onde oxalá acabe essa inversão de valores, os policiais foram aplaudidos e elogiados pelo futuro presidente Bolsonaro.

Como era de se esperar, alguns veículos, como o UOL, que presta um desserviço nesses casos, fez uma matéria questionando a ação dos policiais e até os parabéns do presidente.

Oras, vocês só saberão o que uma vítima passa, ao serem vítimas. No dia em que tiverem com suas cabecinhas na mira de criminosos, o que farão? Uma matéria elogiando o bandido? Uma ligação para o Batman? Ou se arrependerão por viver numa ideologia ultrapassada onde o bandido é mocinho e o mocinho é vilão?

Quem sou eu na ordem do dia, mas, se me permitem, parabéns pela pontaria, policiais!

Aqui não!

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?