(Foto: Piero Ragazzi)
(Foto: Piero Ragazzi)

A notícia do cancelamento do edital 084/2016-FC e do projeto de alteração dos dispositivos da lei que institui o Fundo Municipal de Cultura (Lei nº 4.845/2007), não agradou aos produtores culturais e artistas da cidade. Tanto é que juntos eles lutam pela manutenção dos direitos adquiridos ao longo dos anos. Após manifestação na sessão da Câmara de Vereadores, que terminou com a retirada do projeto da pauta de votação, artistas, vereadores e os secretário de Administração, Argos Burgardt, e de Cultura, Natália Petry, se reuniram ontem para uma conversa. O palco de tudo foi o plenário da Câmara.

Foto Piero Ragazzi (2)
Em mais de uma hora de conversa, as três classes lá representadas foram questionadas e ouviram argumentos, tanto pela manutenção do edital, quanto as da administração pelo cancelamento. Para o ator e um dos representantes da classe artística, Fred Paiva, a reunião serviu para que os vereadores ouvissem o outro lado da história. “Mostramos para eles que não é bem como está sendo pintado, que o valor real repassado ao fundo representa menos de 1% do orçamento limpo e o grande alcance que esses projetos têm. Acho que eles ficaram balançados”, conta. A partir de agora, o grupo planeja ações para conscientizar a comunidade e também o acompanhamento constante do desenrolar do projeto. “Novamente vamos acompanhar, nos mobilizar e protestar. Não dá para deixar de marcar presença, de mostrar a insatisfação e lutar pelos nossos direitos”, defende se referindo a possibilidade de o projeto ir à votação na sessão de hoje.