A nova “meia idade”

Foto: Freepik

Por: Emílio Da Silva Neto

21/07/2023 - 08:07 - Atualizada em: 21/07/2023 - 08:09

A turma da nova MEIA IDADE são homens e mulheres independentes, que trabalharam durante muito tempo e conseguiram mudar o significado sombrio que a literatura latino-americana deu por décadas ao conceito de trabalho. E é por isso que eles se sentem plenos, alguns, até, nem pensando em se aposentar …

 

Em 1875, uma Instituição Inglesa (Friendly Society Act) definiu que “Idosos” eram indivíduos a partir de 50 anos

Diante da evolução da qualidade dos medicamentos, das atividades físicas, hoje praticadas pela maioria das pessoas, e do avanço do número de pessoas que escolheram melhorar a alimentação, o que deu mais qualidade e aumentou a expectativa de vida das pessoas, a Organização Mundial de Saúde (OMS), fez uma nova avaliação do conceito de idade, ficando assim: MENOR DE IDADE, de 0 a 17 anos; JOVENS, de 18 a 65 anos, MEIA IDADE, de 66 a 79 anos; IDOSOS, de 80 a 99 anos; IDOSOS DE LONGA VIDA, maiores de 100 anos. Viiiivaaaa !!!

A nova turma da MEIA IDADE, que levou uma vida razoavelmente satisfatória, expulsou da terminologia a palavra “envelhecer”, porque simplesmente não tem em seus planos atuais a possibilidade de assumi-la.

São homens e mulheres independentes, que trabalharam durante muito tempo e conseguiram mudar o significado sombrio que a literatura latino-americana deu por décadas ao conceito de trabalho. E é por isso que eles se sentem plenos, alguns, até, nem pensando em se aposentar.

Aqueles que já se aposentaram desfrutam plenamente de seus dias, sem medo do ócio ou solidão, crescem internamente e desfrutam do tempo livre, a seu bel prazer.

A maioria não parou no tempo: trocam whatsapps com familiares e amigos, lembram-se sem nostalgia da sua juventude, celebram o sol todas as manhãs e sorriem para si mesmas com muita frequência. E … tã-tã-tã … fazem planos para suas próprias vidas, não para ou com as vidas dos demais.

Aos que compartilham comigo a presença nesta faixa etária, a NOVA MEIA IDADE, pois, afinal, faço 70 anos em 11.08.2023, vale lembrar algumas dicas.

É hora de usar o dinheiro para si, seus gostos e caprichos. Ter uma vida saudável, sem grande esforço físico (incluindo uma ginástica moderada), comer bem e ter um hobby. Sempre manter vivo o amor, amando o seu parceiro, a vida, o seu próximo. Aproximar-se bastante dos amigos, mas só daqueles positivos e alegres, nunca dos ‘velhos amargos’. Aceitar convites para eventos. Ser vaidoso, bem conservado, mas nunca muito moderno para não parecer ridículo. Manter-se atualizado. Falar pouco e ouvir mais. Evitar, ao máximo, reclamar de coisas e dores. Permanecer apegado à religião. Rir muito, de tudo e de si mesmo.

Enfim, o novo MEIA IDADE é um sortudo: está tendo uma vida longa, e a morte só será uma nova etapa, uma etapa incerta, assim como foi incerta toda a sua vida.

Por fim, preocupação zero se alguém disser que, agora, não se está fazendo nada de importante, pois o principal já está feito: si próprio e sua história, boa ou ruim, seja como foi.

Ou seja, nesta fase de “semi-jubilação”, só resta viver suave, em paz e o mais feliz possível. Afinal, tudo é cíclico (“a diferença entre uma criança e um idoso é, simplesmente, o preço de seus brinquedos”) e o prazer é um direito inalienável (“a vida é muito curta para se beber vinho ruim”).

Livros 1/Insights, 2/Flashes e 3/Pitches disponíveis para compra na Grafipel/Jaraguá do Sul.

Também, com dedicatória personalizada, diretamente com o Autor

Emílio Da Silva Neto

www.consultoria3s.com

(Governança, Profissionalização e Sucessão Empresarial Familiar)

emiliodsneto@gmail.com / 47 9 9977 9595)