“Malandro é malandro, mané é mané!”
“Malandro é malandro, mané é mané!”

Dou Início a crônica de hoje, parafraseando Bezerra da Silva, pois em qualquer lugar que se vá, “Malandro é malandro, mané é mané”, ou seja, sempre vai ter aquele cara que se acha o malandro, mas que na verdade está sendo o maior mané!

Não sei se vocês chegaram a ver um videozinho que está rolando pelas redes sociais, de um cara numa farmácia, sem a máscara de proteção, enquanto outros clientes, incomodados com a situação, pedem encarecidamente que o cara coloque a máscara, pois se o mesmo estivesse contaminado poderia contaminar a todos naquele recinto e o cara se achando no direito, afirmando categoricamente que não colocaria a máscara. Acredito que maior exemplo de “manezice” não há!

Além desse, existem tantos outros exemplos de manés, que encontramos no cotidiano, que vou contar pra vocês...Tem aquele que vai ao supermercado com a máscara no queixo, andando com o peito estufado, como se estivesse dizendo: “Pode vir, que eu estou aqui! Não tem vírus que possa me derrubar!” Mané!

O pior de tudo é que esses tipos, ainda olham pra você que está usando a máscara direitinho, com ar de deboche, como se ele estivesse certo e você, sendo o errado. Como se usar a máscara no queixo adiantasse, é mais ou menos como usar uma camisinha no saco!

Outra coisa bizarra são as festinhas clandestinas que andam rolando pela cidade. Bando de mané! A ordem é evitar aglomerações, vocês não entendem, ou é preciso desenhar? Daí vem aquela dondoquinha nas redes sociais em defesa da manezada e questiona: “Mas porque não pode ir a uma festa, se os supermercados também têm aglomero?” E eu respondo pra ela: “Questão de consciência e inteligência, minha filha!” Se eu chegar em um supermercado hoje e ver que tem uma fila enorme, eu deixo para voltar mais tarde.

Isso realmente aconteceu comigo no sábado que passou. Fui em três supermercados à tarde, os três, tinham filas gigantescas. O que eu fiz? Voltei para a minha casa. Deixei para ir a noite, quando cheguei lá, o supermercado estava praticamente vazio. O que se chama isso? Consciência.

Mas voltando a questão das festas, considero inadmissível alguém em sã consciência, estar promovendo eventos como esses, colocando em risco a vida de centenas de pessoas, como foi o caso ocorrido no final de semana que passou. Nesse caso sou categórico em dizer: Ficou sabendo de alguma festa? Denuncie!

Uma coisa que os manés também não respeitam é a distância exigida entre as pessoas, tem sempre aquele que está praticamente cafungando no teu cangote, nesses casos sou bem direto: “Desculpe, mas você poderia respeitar a distância necessária? Estou falando isso para o meu bem e o seu bem, pois vai que numa dessas, eu estou contaminado e não sei?”

O mais fatigante dessa história de pandemia é que além de se cuidar, você ainda tem que cuidar do outro, que pela ignorância, ou por pensar que pode tirar uma onda com a doença, agem como verdadeiros manés.

Com tudo isso que estou vendo por aí, começo a acreditar que o pior não é o vírus, o pior é o ser humano.

Enquanto isso acontece, ficamos vendo a vida passar.

Vamos ter consciência, pessoal! Pois de nada adianta eu me cuidar, se você não se cuida.

Live Os Montanari

Os Montanari entrando na onda e fazendo sua live beneficente nessa sexta-feira.

Para quem é fã da banda, que já está há mais de 60 anos na estrada, não pode perder nessa sexta-feira (15), a partir das 20h. a Live Beneficente BAILÃO OS MONTANARI. Participando você concorrerá a vários prêmios, como uma TV 40’, entre outros.

A live acontece a partir das 20h. no canal oficial no YouTube Os Montanari e na página Geração Livre Produções.

Já que a ordem é não sair de casa, você terá boa música, e diversão para afastar o sofá, as cadeiras e dançar pela casa.

Fica aqui a dica.

No Pirata

O Pirata de olho nas regras, para atender sua clientela com aqueles lanches e porções deliciosos e aquela cervejinha gelada de sempre.

O bar mais rock'n'roll da cidade está novamente de portas abertas, seguindo as diretrizes e normas, exigidas para o funcionamento de bares e restaurante, com atendimento de bar e cozinha, aquela cervejinha gelada e as porções e lanches deliciosos.

Para isso, algumas normas e regras deverão ser seguidas e contamos com o apoio de todos, da equipe, funcionários, clientes e amigos.

Como irá funcionar:

- Restrição do atendimento ao público de 50% da capacidade;

- Fica proibido qualquer contato dos clientes com os alimentos que serão servidos a terceiros (sistemática de buffet, por exemplo).

- Disponibilização de álcool em gel (70%) na entrada do estabelecimento, sabão e toalha de papel nos sanitários, recomendação para que todos os clientes higienizem as mãos ao adentrar no estabelecimento;

- Fornecimento de refeições prontas para consumo, preferencialmente nas mesas, exigindo a utilização de máscaras pelos clientes enquanto não estiverem se alimentando;

- Adoção de distanciamento mínimo de 1,5 metros entre mesas e/ou clientes;

- Uso de máscaras por todos os colaboradores;

- Manutenção das janelas e portas abertas, priorizando a maior ventilação possível.

-Não esqueça de trazer sua máscara de casa.

Decreto Assinado

O prefeito Antídio Lunelli, assinou um decreto nessa semana que estabelece novos horários para o funcionamento de restaurantes, bares, lanchonetes, pubs e estabelecimentos congêneres.

A assinatura do documento deu-se em função das ocorrências registradas pela Polícia Militar, como o flagrante a festas que desrespeitaram completamente às regras de prevenção no combate ao coronavírus.

Pelo decreto, esses estabelecimentos ficam autorizados a funcionar de segunda a domingo, das 6h às 22h.

Os estabelecimentos de alimentos que realizam comércio do tipo delivery poderão realizar entregas nos clientes até as 24h. As lojas de conveniência nos postos de combustíveis, entre as 22h até as 6h, poderão disponibilizar somente o autoatendimento, sem consumo no local.

A fiscalização ficará a cargo das equipes de Vigilância Sanitária e das equipes de Segurança Pública.

Vamos embora que a litorina não espera.
Até semana que vem!