Minha gente querida, sou do tempo em que o leiteiro deixava as leiteiras penduradas no portão da casa para que cedinho pudéssemos tomar o café da manhã acompanhado com um pão caseiro, que às vezes era substituído pelo “pão da venda”, com linguiça, queijo (aquele do plástico vermelho), ou o tradicional “muss” feito em casa que era geralmente de banana ou qualquer fruta da época, bolachinhas de araruta, compondo um cenário de um verdadeiro “Café Colonial”.

O que eu penso ser o mais interessante dessa época, é que nunca ouvíamos falar em intolerância a lactose ou glúten, todo mundo se alimentava bem e não víamos alguém reclamando de estar passando mal ou algo semelhante.

Vou até cometer uma heresia agora, imaginem no milagre da multiplicação dos pães, ou quem sabe, durante a Santa Ceia, alguém falando: Ei Jesus, o meu pão é sem glúten! Não iria dar certo, né?

Será que com o passar do tempo aprendemos a ficar intolerantes? Bom, pelo jeito com que caminha a humanidade, acredito que sim! O pior de tudo, é que a intolerância não surge apenas voltadas às questões alimentares, mas também nas que tangem na convivência de uns com os outros.

Numa sociedade que se diz evoluída, não posso, na maioria das vezes, ter um pensamento diferente, que já passo para a turma dos intolerantes. Mas será que sou eu mesmo intolerante, ou será aqueles que me julgam dessa forma é que o são?

Muitas vezes aqueles que dizem não ter nenhum tipo de preconceito, que chegam até militar na causa, são os maiores preconceituosos. Não aceitando e até criticando ferrenhamente aos que pensam em desacordo com o pensamento deles.

E nesse caso, essas pessoas, não são sujeitos sem instrução, estou falando agora em instrução teórica e prática. São pessoas formadas nas mais diversas especialidades.

Bom, deixa eu tentar explicar melhor, quem me conhece, sabe minha linha de pensamento político. Essa semana recebi o comentário numa foto minha postada numa rede social de uma pessoa por quem tenho o maior carinho e admiração, que dizia o seguinte: “Vai cortar esse cabelo, se teu presidente vê isso já sabe né?”, gente, pelo amor de Deus, o que tem a ver meu cabelo com minha forma de pensar ou com o que eu sou?

Em resposta ao comentário eu disse o seguinte: “até vou utilizar uma frase de Lênin, talvez teu lado "comuna", entenda melhor: "Acuse os adversários do que você faz, chame-os do que você é”.

Será que é tão difícil para essas pessoas entender que eles acabam se tornando aquilo que elas mais abominam? É, pelo jeito a intolerância pegou todo mundo de jeito, vamos buscar a ter mais respeito uns pelos outros, vamos ajudar a construir, afinal de contas, falar por falar, qualquer um pode. Quero ver colocar em prática aquilo que se fala.

Será que tem jeito de voltar no tempo e tomar um cafezinho com leite com lactose e pão com glúten?

Eu topava, e você?

No Pirata

Toca Raul! É a palavra de ordem nessa sexta-feira no Pirata, com o músico Rodrigo Seixas.

Gente do céu e da terra, final de semana chegando e a embarcação do rock partindo em busca de novas aventuras e oportunidades, com as geladeiras forradas de cerveja gelada, num ambiente de muita descontração e alegria.

O agito todo inicia nessa sexta-feira (27) com “Toca Raulllllll!”, falo do amigo Rodrigo Seixas, que vem com tudo, detonando nas canções do Maluco Beleza, Raul Seixas. E a noite não para por aí, porque além do Rodrigo, tem ainda show com as bandas Casa de Róque e Código de Bar.

No sábado (28), rola um acústico em dose dupla, com o duo Projeto 53, trazendo grandes sucessos do Rock Nacional e Internacional, e com o Chico Sérgio, trazendo as melhores músicas do Pop Rock e Reggae Nacional.

Vale lembrar que a censura da casa é de 18 anos, sendo que menores devem ser acompanhados pelos pais. Obrigatória apresentação de documento com foto.

Maiores informações podem ser obtidas pelo fone: 47 98407 9266.

Cavalera

Skate Punk Jamaica é a inspiração da Cavalera para a temporada Primavera/verão 2020.

Com o tema Skate Punk Jamaica (no país do futebol), a Cavalera, através do gênio criativo de Alberto Hiar, lança sua coleção primavera/verão 2020, apropriando-se do movimento punk, tornando-se porta voz de contestação e rebeldia, aproveita para resgatar a cena skateboard, algo que faz parte do DNA da marca, inserindo-os no universo jamaicano

Aqui em Jaraguá, o lançamento acontece neste sábado (28), na loja da marca situada no piso 1 do Jaraguá do Sul Park Shopping a partir das 13h.

Eu já tive a oportunidade de conhecer algumas peças da nova coleção e posso dizer que estão demais!

No Rooster

O som de Cleyton acústico irá embalar a 1ª Noite Open Bar e Open Food do Rooster neste sábado.

O bar mais galo da cidade também esquentando as turbinas para sua primeira noite open bar e open food que acontece neste sábado (28). Na lista do open bar serão servidos chopp pilsen da Graal Beer, Caipirinhas de morango, limão e abacaxi feitas com vodka ou cachaça. No open food, os mais deliciosos petiscos de boteco. No comando do som, muito pop rock com Cleyton acústico.

Fiquei sabendo que em breve novidades pintarão no bar mais galo da cidade, é esperar para ver.

Para quem ainda não sabe, o Rooster fica coladinho na cabeceira da ponte da Rede Feminina de Combate ao Câncer.

The John

O reggae da banda Yeti Reggae Club embala o agito no The John no sábado.

Final de semana chegando e a galera esperta do The John American Pub preparou com todo o carinho as atrações para a galera.

O agito todo inicia na sexta-feira (27), tendo no palco da casinha mais aconchegante da Domingos da Nova, a banda Mr. Moonrise, que traz no repertório, Nickelback, Foo Fighters, Bon Jovi, Oasis, Pearl Jam e Red Hot, entre outros.

No sábado (28), o envolvente som do reggae toma conta do espaço, com a banda YETI Reggae Club, no playlist da banda uma miscelânea de estilos, acrescentando ao reggae, elementos de rock, surfmusic, soul e forró.

Para quem ainda não sabe, o The John também tem um cardápio recheado de delícias que merece uma atenção toda especial.

O The John fica na Rua Domingos da Nova, ao lado da Studio FM.

Normalistas de 69

Num clima de muita nostalgia as Normalistas da turma de 1969 comemoram os 50 anos de formatura no próximo dia 5 de outubro.

Em comemoração aos 50 anos de formatura, as formandas do ano de 1969, como Normalistas (para quem não sabe, o Normal era o curso que formava Professores), do Colégio Divina Providência, estão a mil preparando um maravilhoso encontro que acontecerá na Sociedade Vieirense, no próximo dia 5 de outubro.

No encontro será servido um almoço e logo após um delicioso café da tarde, que com certeza será repleto de muitas lembranças vividas nos tempos de colégio.

Parabéns “meninas”, peço permissão para me atrever a chamá-las dessa forma, pelos 50 anos de formatura, que a nostalgia desse momento se faça presente no coração de cada uma, como se fosse os dias em que vocês adentravam os portões do Divina Providência!

No Alvorada

Um costelaço e o baile com a banda Os Baileiros, será a atração de sábado, no salão Alvorada.

No sábado (28), a Sociedade Recreativa Alvorada abre suas portas para mais um evento de sucesso. Na ocasião será servido um delicioso costelaço, como jantar e em seguida, acontece o baile de formatura promovido pelo Grupo Nativista de dança gaúcha que terá a animação da banda Os Baileiros.

Os ingressos antecipados para o baile com o costelaço estão sendo vendidos a R$30,00 nos seguintes locais: nos postos Mime matriz, barra, Weg II e rio cerro. Para quem não quiser participar do costelaço, o ingresso somente para o baile (antecipado) está no valor de R$20,00.

Fica o convite.

 

Vamos embora, porque a litorina não espera.

Até semana que vem!