Texto escrito por Daiane Mohr, CFP, planejadora financeira da Warren.

Frequentemente, sou questionada sobre qual a melhor ação para comprar. Também
recebo propostas de pessoas que querem colocar uma grana na minha mão para
que eu possa operar ações para elas.

Muita gente busca rentabilidade rápida com pouco esforço. Só que o mercado financeiro não deixa as pessoas ricas. O que as deixa ricas é a sua profissão.

Dedique-se a ela e cuide bem dos seus investimentos. Existe uma fórmula mágica que faz o dinheiro ir do zero ao infinito: R$ x % x T = dinheiro aplicado a uma taxa de juros ao longo do tempo. Nessa equação, o maior peso é o tempo - ele é o único fator que não conseguimos ajustar. Não há como comprá-lo de volta.

Trago um estudo de Jurandir Sell, professor e doutor em finanças comportamentais.
Jurandir foi o primeiro a ministrar uma aula de finanças comportamentais no Brasil e é um entusiasta do planejamento financeiro há mais de 30 anos.

O estudo faz diversas análises de comportamentos de compras de ações. Destaco duas em específico.

A primeira, feita em 504 carteiras hipotéticas de ações, considera uma compra e
uma venda após 10 anos. Passado esse período, as carteiras tiveram um risco médio de 9,6% aa, com Taxa Interna de Retorno (TIR) de 10,29% aa.

A segunda análise trata de 360 carteiras hipotéticas de ações que fizeram uma compra a cada mês, por 14 anos. Depois, as vendas foram feitas ao longo de 7 anos, com uma venda por mês. O risco ficou em 3,01% aa, com TIR de 14,73% aa.

Disciplina, objetivos bem definidos e tempo adequado foram capazes de diminuir o
risco e aumentar o retorno. As análises levam em conta a compra das mesmas
ações sem venda ao longo dos anos de acumulação.

Então é preciso ficar para sempre com as mesmas ações? Não! Você deve acompanhar e fazer a manutenção da sua carteira, alinhando a estratégia regularmente. Mas o que quero dizer aqui é que esse ajuste não é todo dia, nem toda semana.

Outro ponto que esses exemplos trazem é o risco que investidores correm ao tentar
encontrar o melhor ativo na hora certa. Você concorda que, se fosse algo tão lógico
acertar a compra e a venda de ações, todo mundo seria rico?

Investir em renda variável é assunto sério e precisa fazer sentido com seu perfil e seus objetivos. Digamos que você quer se tornar financeiramente independente em 20 anos. Para isso, você guarda um valor X por mês e, com disciplina, chega no seu objetivo se a carteira render 6% a.a.

O foco, então, é montar uma carteira que garanta o rendimento, mesclando estratégias, classes de ativos e graus de risco. Lembre-se, mesmo que a carteira renda um pouco a mais em alguns momentos, essa rentabilidade não faz nada sozinha sem o fator tempo. O tempo é, definitivamente, o seu melhor amigo.

Daiane Mohr, CFP® da Warren - Contato: daiane.mohr@warren.com. | warren.com.br