“♫ Who wants to live forever?/ Who wants to live forever?/ Forever is our today/ Who waits forever anyway?” (Who wants to live Forever?, Queen).

Nesse mundo de evolução acelerada da tecnologia impactando diretamente na vida de todos, mesmo de quem não gosta dela, novos dilemas surgem com frequência.

A bem da verdade, o transumanismo (ou trans-humanismo ou, mais estranho, transhumanismo) não é algo propriamente novo. E o primeiro a se fazer é entender tal conceito. O que é afinal transumanismo ou o que é ser um transumano?

O futuro desde o passado

O transumanismo é um movimento (para alguns filosófico, para outros intelectual, ou, ainda, filosófico-intelectual) que defende o aprimoramento do ser humano com sua fusão com máquinas ou tecnologia. Objetivo? Potencializar ao máximo o ser humano. Mais do que corrigir, melhorar, aperfeiçoar o que talvez seja impossível alcançar biologicamente.

Aí está uma das discussões: corrigir defeitos pode ser considerado transumanismo? Uma pessoa que usa óculos para sobrepor sua miopia ou alguém com um implante de uma perna perdida em algum acidente podem ser considerados transumanos?

As discussões remontam os anos 20 do século passado. Ou seja, não são assim tão novas. Naquele tempo, porém, pouquíssimos poderiam imaginar o quanto a tecnologia evoluiria em menos de 100 anos, a começar pela capacidade e potencialidade da internet!

O homem de seis milhões de dólares

O pessoal um pouco mais velho vai lembrar do seriado norte-americano O Homem de Seis Milhões de Dólares, que, por causa de um acidente, é praticamente todo reconstruído e pode fazer quase tudo melhor e mais rápido que uma pessoa normal. Na esteira dessa série, veio A Mulher Biônica. Hoje com esse valor não daria para fazer muita coisa... Para os mais novos, veio o Robocop, com a mesma linha de raciocínio.

Hoje a ideia não é deixar apenas mais forte e rápido. Ser mais inteligente e efetivamente saudável é o zênite buscado. Além da inteligência artificial (dos robôs ou máquinas), quer-se ligar o cérebro humano aos sistemas computacionais. E isso está cada vez mais perto. O leitor consegue imaginar um homem ciborgue, forte e ágil, com um cérebro com capacidade quase infinita?

O que virá depois?

A imortalidade

Outro sonho dos primórdios do ser humano é a imortalidade. Também não estamos distantes deste ponto. Questão de poucos séculos, creio eu. Com o avanço da medicina, com a facilitação de implantes de órgãos e membros, e um cérebro eternamente jovem, logo (em tempo histórico) os humanos, ou transumanos, poderão viver até quando quiserem. Os ricos, claro! Você está pronto para ser um transumano?