“♫ E no caminho da escola eu ia tão contente/ Pois não tinha nenhum carro/ Que fosse na minha frente/ Nem Gordini nem Ford/ O bom era o Simca Chambord “ (Simca Chambord, Camisa de Vênus).

Tecnologia, inovação e disrupção estão presentes na indústria automobilística como em poucas. As carroças pularam para automóveis entre o final do século XVIII e o início do XIX. Mas 1886 que é considerado o ano de nascimento do automóvel moderno, com o Benz Patent-Motorwagen, do alemão Karl Benz. De lá para cá muita evolução aconteceu.

Carros elétricos

Os carros elétricos não são propriamente uma novidade. Deixando de lado os famosos bondes elétricos que foram utilizados em boa parte do mundo, os automóveis elétricos surgiram por volta de 1830, chegando a quase 1/3 da frota nos EUA em 1900. Foram dizimados pelos de produção em série de Henry Ford, bem mais baratos. Tiveram mais um suspiro nos anos 1970, inclusive no Brasil, com a extinta Gurgel Motors apresentando o primeiro automóvel elétrico da América Latina.

De uns anos para cá, voltaram com força, especialmente com o apelo ecológico. Muitos países estão limitando o uso de combustíveis fósseis em automóveis para um futuro próximo. Além disso, são mais econômicos e silenciosos. O que ainda pega é preço, mas a tendência é cair, como acontece com toda tecnologia que se populariza.

Os carros autônomos

Os veículos autônomos também estão chegando. EUA e China estão com estudos bastante avançados em relação aos automóveis sem condutores humanos. Ainda há desconfiança e muito a ajustar, mas a partir do momento que os carros inteligentes estiverem realmente preparados será uma revolução no trânsito.

Combinados com as smarts cities (cidades inteligentes), os carros autônomos proporcionarão menos engarrafamentos e menos acidentes. Na Suécia, por exemplo, carros da polícia estão conectados e sempre que em operação têm os semáforos facilitando seu fluxo. Indiscutivelmente, trarão grande economia social com menos combustível, mortos e feridos.

Os carros voadores

Clássicos do cinema, como De volta para o futuro e Blade runner, trouxeram a expectativa, nos anos 80, de que veríamos carros voadores a partir dos anos 2000 ou 2020. Isso sem contar o desenho animado Os Jetsons, com tantas inovações (algumas que até se confirmaram), dentre as quais o tal carro voador.

Pois é. Essa não deu. E se der, ainda deve demorar algumas décadas, e, provavelmente, também serão autônomos (até porque, se hoje os riscos com os veículos conduzidos por humanos vêm de todos os lados, com carros voadores também viriam de cima).

Daqui a pouco, como na música do Camisa, a criançada vai cantar eufórica no carro que não tem motorista, não polui e não fica engarrafado.