“♫ E se eu te explicar você não vai entender/ Vai rir de mim querer me internar/ O amor perdido, expectativa, frustração/ A bomba tinha que explodir em alguém/ Essa é a vingança do meu desamor/ E alguém inocente não se deu bem// Efeito dominó” (Efeito dominó, Ira).

As fake news se transformaram numa pandemia. O que antes se chamava de boato ou fofoca, agora, com a internet, ganhou uma roupagem mais robusta e um peso infinitamente maior.

Mentiras sempre houve, desde que o mundo é mundo, ou, pelo menos, desde que o homo sapiens ganhou algum discernimento. Relacionamentos, famílias, países já foram destruídos por causa dos boatos, das fofocas e das mentiras, premeditadas ou não.

Mas, o que mudou com a popularização da internet?

As causas

Infelizmente, a vontade de estudar, de compreender e de conhecer não se popularizaram na mesma velocidade da internet. Às vezes chego a pensar que a humanidade emburreceu com o passar das décadas. Pessoas precisam de calculadora para diminuir oito de dez ou simplesmente não sabem conjugar o verbo ser. Pessoas que estudaram. Não me refiro a quem não teve oportunidade.

E pela falta de vontade de querer entender ou aprender, muita gente está passando adiante as tais fake news, especialmente em seus grupos de WhatsApp.

Estudos de universidade norte-americana apontaram que as maiores propagadoras de fake news são as senhoras que passaram a meia-idade e têm boa condição intelectual (?) e financeira. Essa pesquisa, porém, é de anos antes dos gabinetes do ódio que se multiplicaram pelo mundo, com caráter político e destrutivo. O panorama mudou.

No final das contas, percebe-se que as pessoas passam adiante as informações falsas basicamente por dois motivos: porque querem fazer parte de algum grupo, querem ter aquela sensação de pertencimento; e porque, mesmo sabendo ou desconfiando que a informação é falsa, gostariam muito que fosse verdadeira, pois está de acordo com os seus pensamentos (políticos, ideológicos, religiosos, de torcedor, preconceituosos ou quaisquer que sejam).

Efeito dominó

Acontece que repassar adiante mentiras ou informações descontextualizadas não contribui em nada para a sociedade. Ao contrário, gera um efeito dominó devastador que, dependendo do caso, pode ser terrível para a vítima e sua família ou para a humanidade.

Bin Laden, partindo de uma premissa falsa (que todo americano representa o mal), convenceu alguns radicais e jogarem aviões contra o World Trade Center. O governo americano, partindo de outra mentira (que o Iraque mantinha armas de destruição em massa), invadiu esse país e piorou a situação, que já era ruim, no Afeganistão.

No dia a dia, quantas vezes as pessoas utilizam seu WhatsApp com a mesma convicção que um Bin Laden ou um George W. Bush para alcançar seus desejos íntimos de destruição? Sua vingança de desamor, expectativa e frustração?

Apenas tento explicar. Espero que não riam de mim. Uma coisa é bem provável: a bomba vai explodir e algum inocente vai se dar mal!