Foto Julio Cavalheiro/Secom
Foto Julio Cavalheiro/Secom

A WEG fará o fornecimento dos turbogeradores responsáveis pela geração de energia elétrica para as plataformas de Petróleo & Gás destinadas aos projetos Búzios V e Mero 2 na costa do Brasil.

O fornecimento compreende quatro turbogeradores de 36,0MW 3600rpm e quatro turbogeradores de 33,0MW 1800rpm.

Com um sólido histórico de fornecimento de equipamentos elétricos para geração, com mais de 1800 turbogeradores já instalados, a WEG tem se destacado com uma das principais fornecedoras de soluções para plataformas de Petróleo & Gás no país.

Desde 2011, quando a Companhia adquiriu a Electric Machinery, empresa sediada em Mineápolis, nos EUA, a WEG não só incorporou a tecnologia dos turbogeradores de 3600rpm para operação conjunta, tanto com turbinas à gás quanto com turbinas à vapor, mas também agregou a experiência de uma empresa centenária, com mais de 20.000 MW de capacidade global instalada, grande parte para o segmento de Petróleo & Gás.

Além destes turbogeradores, a Companhia também está entregando 60 motores de média tensão, centenas de motores de baixa tensão além de inversores de frequência para os dois projetos. Os fornecimentos irão gerar receita de aproximadamente R$ 160 milhões para a WEG.

As aplicações incluem compressores de exportação de gás, compressores de injeção de gás, compressores de baixa pressão, bombas de injeção de água, bombas de circulação de óleo, bombas do sistema de remoção de sulfatos, entre outros serviços.

“Projetos como este necessitam de equipamentos especiais, com alto grau de confiabilidade e eficiência. Além de capacidade tecnológica, com estrita adesão aos mais exigentes padrões internacionais de qualidade, oferecemos ao cliente o melhor suporte pós-venda do mercado nacional, garante Elder Stringari, Diretor Internacional da WEG.

Com parques fabris estrategicamente localizados no mundo inteiro, a WEG garante eficiência, competitividade e atendimento rápido através de uma rede de mais de 1.250 assistências técnicas presentes nos 5 continentes.

Investimentos no norte

A Celesc divulgou nesta semana que até o fim deste ano serão investidos R$ 140,1 milhões no sistema elétrico que atende os 25 municípios que integram o Núcleo Norte.

A companhia já aplicou, até o momento, R$ 81 milhões em obras já executadas. Além disso, por meio do Programa Celesc Rural, estão sendo investidos R$ 36,5 milhões na rede elétrica que atende as áreas rurais da região.

Entre as obras entregues, estão as novas subestações Araquari-Corveta e Canoinhas-Rio da Areia. Também foram ampliadas as Subestações Canoinhas, Joinville Vila Nova (+ 9,375 MVA) e inaugurada a nova Linha de Distribuição (LD) Araquari Hyosung - Araquari Corveta de 138 kV.

“Cerca de 40 mil unidades consumidoras – entre residências, comércio e indústrias – serão beneficiadas com uma energia de mais qualidade e apta para atender as demandas de crescimento da região pelos próximos cinco anos”, afirma o presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins.

Segundo ele, os investimentos vão garantir um desenvolvimento econômico ainda maior e atender uma reivindicação antiga de quem vive, trabalha e investe na região.

Parte dos recursos da região ainda é destinada à ampliação da Subestação Jaraguá Rio da Luz, obra já em execução, com a implantação de um transformador de 26 MVA.

Também serão executadas melhorias nas subestações Mafra e Joinville I e iniciada a licitação para a obra da Linha de Distribuição e subestação Joinville/Boa Vista.

São obras estruturantes que aumentarão a capacidade de distribuição de energia e a segurança do sistema elétrico.

Realidade virtual

A Petrobras desenvolveu, em parceria com o Sidia Instituto de Ciência e Tecnologia, uma experiência em realidade virtual (RV) para o treinamento de sua força de trabalho no Polo de Urucu, em Coari (AM), com peculiaridades e especificações alinhadas com os requisitos de segurança da companhia.

Baseado em atividades cotidianas dos colaboradores da Petrobras, a experiência contém duas etapas e estimula o interesse dos usuários sobre os equipamentos e rotinas da área operacional por meio de efeitos visuais e sonoros imersos em um ambiente simulado de uma unidade terrestre de produção de petróleo.

Com a experiência, aumenta-se a percepção de risco dos participantes, reforçando as regras de segurança, já que a pontuação é baseada por desempenho da identificação dos desvios.

 

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul