Com as diversas mudanças nas regras de aposentadoria, alterações nas idades mínimas, entre outros fatores, o mercado da previdência privada tem atraído novos investidores e adeptos.

Para pessoas física ou jurídica, são várias opções de planos, que variam conforme os objetivos e perfil de cada cliente.

Segundo pesquisa do Datafolha, só 10% dos brasileiros tem algum plano de previdência privada - para quem é mais jovem, pensar no tema pode parecer algo para o futuro, mas graças à juros compostos, acumulo de capital e participações em planos, investimentos iniciados mais cedo podem trazer diferenças consideráveis, que só aumentam conforme o período de investimento cresce.

O tópico é o tema da última reunião plenária da Associação Empresarial de Guaramirim (Aciag) no ano, na próxima segunda-feira (19). A convidada é a gerente da Quanta Previdência, Nicole Gasperin. A plenária tem início as 18h30.

Congresso do PMI Santa Catarina

O desafio de "Construir o Futuro" das organizações - tanto no setor privado quanto na área pública - é o tema central da quarta edição do Congresso Catarinense de Gestão, Projetos e Liderança (IV CCGPL), evento que o Project Management Institute Santa Catarina promove entre os dias 22 e 24 de novembro, na Faculdade Cesusc, em Florianópolis.

Gilmar Mendes suspende ressarcimento de poupadores

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, suspendeu, sozinho, a obrigação legal dos bancos compensarem seus clientes por perdas financeiras decorrentes dos planos econômicos das décadas de 1980 e 1990. A decisão monocrática foi tomada dia  31 de outubro e divulgada nesta quarta-feira (14), suspendendo, até fevereiro de 2020, o pagamento dos valores já arbitrados pela Justiça, em processos de ações individuais já julgados e nos quais não caberia mais recursos.

A decisão não afeta os poupadores que aderiram ao acordo homologado no início do ano pelo Supremo. A adesão ao acordo é voluntária - mas a decisão de Mendes essencialmente a torna obrigatória, suspendendo por dois anos ou mais o pagamento para quem não aderir ao acordo, mesmo que a justiça já tenha decidido pelo ressarcimento.

Caixa suspende faixa intermediária do Minha Casa Minha Vida

A Caixa anunciou nesta terça-feira (13) que suspendeu, por falta de recursos, a contratação de novas unidades habitacionais do programa Minha Casa Minha Vida para a faixa 1,5, voltada para famílias com renda mensal máxima de até R$ 2,6 mil. De acordo com o banco, o orçamento para esta linha de crédito imobiliário foi “utilizado em sua totalidade” e as contratações do programa para esta faixa serão retomadas no início de 2019.Em comunicado, a Caixa informou que somente a faixa 1,5 foi suspensa, todas as outras linhas de crédito continuam contratando novas unidades.

Quer receber as notícias no WhatsApp?