O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira (29) que o governo está aberto a sugestões dos líderes partidários para propostas que visem à recuperação da economia e ao enfrentamento dos problemas sociais que podem surgir a partir do próximo ano.

O estado de emergência em razão da pandemia da Covid-19 acaba em 31 de dezembro, assim como o pagamento do auxílio emergencial aos cidadãos mais vulneráveis.

“O meu governo busca se antecipar aos graves problemas sociais que podem surgir em 2021, caso nada se faça para atender a essa massa que tudo, ou quase tudo, perdeu. A responsabilidade fiscal e o respeito ao teto são os trilhos da economia. Estamos abertos a sugestões juntamente com os líderes partidários”, escreveu em publicação nas redes sociais.

Na segunda-feira (28), Bolsonaro anunciou o Renda Cidadã, novo programa de transferência de renda do governo, que substituirá o auxílio emergencial e o Bolsa Família, e será financiado com parte dos recursos de pagamento de precatórios e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

A proposta foi acordada entre o governo e líderes da base e deverá ser apresentada na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Pacto Federativo e na PEC Emergencial, que tratam da desindexação dos gastos públicos.

O renda cidadã é a segunda proposta geral de um programa de transferência de renda permanente da gestão Bolsonaro - a proposta anterior, Renda Brasil, foi descartado no começo do mês.

O fim do estado de emergência tem causado preocupação, ante a uma economia em queda, recuperação fraca do emprego - ainda com acumulados negativos em muitos municípios - e perda do poder de consumo da população.

Combinado a um dólar em alta acelerada e carência de estoques internos, o quadro gera receios de que o país não esteja em condições de retomar a "normalidade".

Plenária Online

Nesta quarta-feira (30), a CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de Jaraguá do Sul promove mais uma plenária online, a partir das 19h30.

A reunião tem como tema principal a divulgação da campanha de fim de ano da entidade, intitulada "Comprou, Raspou, Ganhou", que vai distribuir R$ 100 mil em vales-compras.

Também será apresentada a campanha de Dia das Crianças.

Outro assunto que entrará em pauta é um bate papo sobre o PIX, sistema que promete revolucionar o mercado financeiro. A conversa será transmitida, ao vivo, pelo canal da CDL no YouTube, Facebook e Instagram.

Falta de recursos atravanca indústria 4.0

A insuficiência de recursos próprios e de financiamentos adequados é um dos principais entraves para o desenvolvimento da indústria 4.0 no Brasil.

A informação faz parte de estudo elaborado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) com empresas de diversos portes, nacionais e internacionais, que revela os gargalos para apresentar perspectivas e soluções ao desenvolvimento da indústria 4.0.

O estudo mostra que a sensibilização dos representantes das empresas e a criação de financiamentos específicos para a implementação de soluções tecnológicas estão entre as principais medidas para preservar e aumentar a competitividade da indústria brasileira.

Inflação

O Índice de Preços ao Produtor (IPP), que mede a inflação de produtos na saída das fábricas brasileiras, registrou inflação de 3,28% em agosto deste ano.

Foi a maior alta de preços em um mês desde o início da pesquisa, em janeiro de 2014, segundo dados divulgados nesta terça-feira (29), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em julho, o IPP teve inflação de 3,22%. Com o resultado de agosto, o índice acumula taxas de inflação de 10,80% neste ano e de 13,74% em 12 meses.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul