Enquanto internamente o governo federal passa por mais um solavanco, no exterior o país busca manter boas relações com o mercado financeiro - ponto no qual tem marcado certo vigor nos esforços do Ministro Paulo Guedes, representante brasileiro no Fórum Econômico Mundial.

Para manter essas boas relações, o ministro abriu a terça-feira (21) reunindo-se com o professor Klaus Schwab, criador do Fórum Econômico Mundial. Também manteve reuniões com o presidente do Grupo UBS (conglomerado financeiro da Suíça), Axel Weber, e com o presidente e diretor jurídico da Microsoft, Brad Smith.

A economia e a pauta liberal de Guedes é um dos pilares do governo Bolsonaro. Guedes tem se demonstrado firme e qualificado para a proposta econômica que defende, assim como para manter as relações que ajudarão a pô-la em prática.

É uma proposta que encontra resistência e que exige medidas impopulares - tais quais a reforma da previdência - mas é inegável que o ministro tem se demonstrado dedicado a cumpri-la, e se centrado em manter as relações necessárias para tal.

Aprove ou não essa agenda de privatizações e austeridade, Guedes é o homem forte do governo Bolsonaro - e sua presença em Davos dá continuidade a esta agenda.

WEG em alta

O momento é promissor para quem investiu na WEG em 2019: as ações da empresa de Jaraguá do Sul fecharam a segunda-feira (20) cotadas a R$ 37,93, pouco mais que o dobro do valor que tinham no mesmo dia do ano passado, quando estavam cotadas a R$ 18,82 - uma alta de 101,54%.

Os dados são da Bovespa.

PIB sobe 0,8%

O Produto Interno Bruto (PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos no país) cresceu 0,8% no trimestre encerrado em novembro de 2019 na comparação com o trimestre findo em agosto daquele ano.

O dado é do Monitor do PIB, divulgado nesta terça-feira (21) pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

Preço de aluguéis

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), usado no reajuste dos contratos de aluguel, registrou inflação de 0,57% na segunda prévia de janeiro deste ano. A taxa é inferior aos 2,06% observados em dezembro de 2019,

Privatizações

O programa de privatização de empresas federais teria alavancado o Brasil da sexta para a quarta posição entre os principais destinos de investimentos estrangeiros no mundo em 2019.

Segundo relatório divulgado pela Conferência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento (Unctad), o Brasil recebeu US$ 75 bilhões em investimentos externos no ano passado, contra US$ 60 bilhões em 2018.

Criptomoedas

O sonho da grana fácil tem quebrado a cara de muitos investidores ingênuos - gente que cai na promessa de "corretoras" que prometem coisas como rendimentos absurdos em pouco tempo.

A última da vez foi uma corretora de criptomoedas em SP, que prometia rendimentos de 15% ao mês - e sumiu com dinheiro dos investidores, sem dar explicações. O caso foi coberto em detalhes pelo UOL.

Tem casos piores: no fim do ano passado, cinco homens foram presos nos EUA por organizar um esquema de pirâmide disfarçado de venda de "cotas de participação em uma mineradora de Bitcoin" que movimentou US$ 722 milhões.

A mineradora prometida não existia. O caso foi coberto pelo site Wired.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul

Facebook Messenger