Toda a rede de tecnologia e inovação de Santa Catarina vai receber um importante reforço nos próximos meses.

A Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina (Fapesc) investirá R$ 3,4 milhões para manutenção e abertura de novas incubadoras em todas as regiões.

O objetivo é acelerar ampliar o empreendedorismo inovador e sustentável, com impacto na geração de emprego e renda.

Para participar, as instituições deverão apresentar um projeto envolvendo pesquisa científica e tecnológica ou empreendedorismo. As inscrições podem ser feitas diretamente na plataforma da Fapesc até 26 de outubro. O resultado será divulgado em 6 de novembro.

Serão contempladas até 25 propostas. Destas, 18 serão para manutenção de incubadoras já em operação e outras sete para criação de estrutura para novos negócios.

Os valores repassados pela Fapesc variam entre R$ 100 mil e 150 mil. Os recursos poderão ser usados para pagamentos de despesas correntes, como materiais de consumo, além da compra de equipamentos e de materiais permanentes.

Segundo o presidente da Fapesc, Fábio Zabot Holthausen, o apoio dado pela fundação é fundamental para o fortalecimento do ecossistema de inovação em Santa Catarina.

“As incubadoras são um importante instrumento para a geração de novas startups e elo essencial entre os empreendedores, a academia e o mercado. Elas terão a missão de gerar novos empreendimentos, emprego e renda nas diversas regiões”, explica.

A gerente de Inovação da Fapesc, Gabriela Mager, reforça que esses recursos são importantes para atender as necessidades dos ambientes que apoiam o surgimento e o desenvolvimento de novas startups.

“A ideia é que haja cada vez mais a interação entre as incubadoras e seus incubados com a rede dos Centros de Inovação do Estado”, comenta.

Hoje Santa Catarina conta com 31 espaços para incubação. A ideia é que, com o edital da Fapesc, o número salte para 38, resultando em novas empresas.

Para mais informações sobre o edital, clique aqui.

Capital de giro

Indústrias de micro e pequeno portes de Santa Catarina têm à disposição de R$ 20 mil a R$ 50 mil em crédito para capital de giro, sem a necessidade de apresentar garantia real.

Um convênio firmado entre a Federação das Indústrias (Fiesc) e o BRDE abriu uma linha com R$ 50 milhões para atender esse grupo de empresas.

O presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar, explica que a iniciativa faz parte do Programa Travessia, liderado pela entidade, com foco na reinvenção da indústria e da economia catarinense.

“O crédito é um dos pilares do Travessia e nossa parceria com o BRDE vai permitir que o recurso chegue aos micro e pequenos negócios, segmentos que foram muito afetados pela pandemia e que, tradicionalmente, enfrentam mais desafios para conseguir financiamento por conta da garantia real”, afirma.

Chaves do Pix

Nos cinco primeiros dias de cadastramento, 24.821.312 chaves foram registradas no Pix, o novo sistema de pagamentos instantâneos operados pelo Banco Central (BC) que começará a funcionar em 16 de novembro.

O volume foi registrado das 9h de segunda-feira (5) até as 18h de sexta-feira (9).

As chaves do Pix são uma combinação para que o cliente – pessoa física ou jurídica – possa pagar e receber dinheiro em até dez segundos.

A chave é composta por uma das três informações, número de celular, e-mail ou CPF/CNPJ, que o correntista deverá digitar para fazer as transações.

Reajuste na gasolina

A Petrobras aprovou um reajuste médio de 4% no preço da gasolina em suas refinarias, o que equivale a R$ 0,07 por litro. O aumento já está valendo.

Também será reajustado o diesel vendido pela Petrobras. O combustível ficará 5% mais caro, o que equivale a 0,08 centavos.

Com o reajuste, o litro da gasolina passará a custar R$ 1,82 nas refinarias, enquanto o diesel, R$ 1,76.

Após ser vendido pela Petrobras aos distribuidores, o combustível aumenta de preço até chegar ao consumidor final devido aos impostos estaduais e federais, custos de distribuição e revenda e adição de biocombustível.

Aquisição de alimentos

O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), do Ministério da Cidadania, chegou a Santa Catarina. Em ato na Casa d’Agronômica, na semana passada, o governador Carlos Moisés e o ministro Onyx Lorenzoni assinaram o termo de autorização que destinará R$ 14,6 milhões do programa para o estado.

“Esta ação atende quem produz e quem precisa do alimento. Muitas famílias ainda precisam ser assistidas nesta necessidade tão básica. O Governo Federal está de parabéns pela sensibilidade de atender essas famílias. É importante destacar também que políticas como esta têm que ocorrer nas três esferas de governo, no Federal, no estado e nos municípios”, destacou o governador Carlos Moisés, reforçando que, com este gesto, o Governo Federal marca sua presença nos estados atendendo aos mais vulneráveis.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul