A taxa de desemprego ficou em 11,9% no terceiro trimestre deste ano. O índice, medido pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – Contínua (Pnad-C), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é inferior aos 12,4% registrados no segundo trimestre deste ano e no terceiro trimestre do ano passado.

A população desocupada ficou em 12,5 milhões, ou seja, 3,7% a menos do que no segundo trimestre deste ano e 3,6% a menos do que no terceiro trimestre de 2017.

O resultado, no entanto, não é exatamente motivo para comemoração, só para um certo alívio.

O indicador segue em alta histórica, em uma das piores taxas de desemprego que o país já teve, e o taxa se mantém acima dos três dígitos desde abril de 2016, após um período de 106 meses consecutivos com desemprego abaixo dos 10%: antes da explosão do indicador em 2016, passando de uma média de 6,9% em 2015 para 10,8%, o indicador não ficava em três dígitos desde março de 2007, quando estava em 10,2%.

Já a população ocupada somou 92,6 milhões de pessoas, um aumento de 1,5% tanto em relação ao segundo trimestre deste ano quanto em relação ao terceiro trimestre de 2017.

Apesar disso, os rendimentos se mantiveram estáveis: o rendimento médio real habitual dos trabalhadores no terceiro trimestre ficou em R$ 2.222,  já rendimento real habitual ficou estável em R$ 200,7 bilhões.

O desemprego segue como um dos maiores desafios para a recuperação da economia nacional, e reduzi-lo é parte chave para garantir o aumento no consumo e no Produto Interno Bruto (PIB).

Outro desafio é reduzir a população desalentada - aquela que não está trabalhando nem procurando emprego, por terem a certeza de que não conseguirão: o número de pessoas desalentadas ficou em 4,8 milhões, estável em relação ao trimestre anterior e 12,6% acima do mesmo trimestre de 2017 (4,2 milhões).

Spin UP Summit começa em três semanas

O ecossistema de inovação vai ser discutido com profundidade durante o Spin Up Summit 2018. O evento, organizado pela Spin, primeira aceleradora startup-indústria do Brasil, ocorre dia 22 de novembro, no Grande Teatro do Centro Cultural da Scar, a partir das 13h30. Os ingressos já estão venda e podem ser adquiridos antecipadamente no site.

Alguns dos principais nomes no setor estão entre os convidados já confirmados. Um deles é J. Rizzo Hahn Filho, fundador e CEO da Pollux, considerada a empresa de automação mais inovadora do Brasil.

Também participam do evento Robert Janssen, da Obr Global, Ricardo Podval, da CIVI-CO, Jaime de Paula, da Neoway, Carlênio Branco, da Senior Sistemas, Cassio Spina, da Anjos do Brasil, e Monika Hufenussler Conrads, da Duas Rodas Industrial.

Não é greve, afirmam caminhoneiros

Segundo movimentos de caminhoneiros no estado, a mobilização iniciada em Goiás nesta segunda-feira (29) não se trata de uma paralisação, mas de um movimento de fiscalização da categoria quanto ao cumprimento da tabela de frete da ANTT.

"O que está sendo feito é verificar se estão cumprindo a tabela, e que não está cumprindo não está sendo impedido de circular, mas obrigado a voltar e cumprir a tabela", explica Kelvyn Cristofolini, presidente da Associação dos Caminhoneiros do Vale do Itapocu (Acavi).

Fiesc e Rotaract fazem doação para Apae

Em parceria com as unidades da Fiesc na região do Vale do Itapocu (Senai, Sesi e IEL), a campanha “A Força do Lacre” realizada por colaboradores, professores e alunos da instituição, juntamente com a campanha “Lacre do Bem”, do Rotaract Club, fez o repasse de materiais à Apae de Barra Velha.

Foram entregues uma cadeira de rodas, brinquedos doados por estudantes do curso técnico em química, roupas infantis produzidas pelos alunos-aprendizes dos cursos de confeccionadores de moldes e roupas, e livros de literatura infantil doados por acadêmicos da Faculdade Senai.

24 centavos

A Petrobras reduziu o preço do diesel nas refinarias em 10,1%. O valor do litro passou de R$ 2,36 para R$ 2,12 nesta terça-feira (30), são 24 centavos. A informação foi divulgada em nota pela companhia nesta segunda-feira (29).

O preço final ao consumidor, no entanto, dependerá da margem de lucro das distribuidoras e dos postos de combustíveis. O novo valor vai vigorar até 28 de novembro, quando será novamente recalculado.

Gasolina tem redução de 6,2%

A Petrobras anunciou que reduzirá os preços da gasolina em 6,2% nas refinarias a partir desta quarta-feira (31), no maior corte percentual já anunciado pela estatal desde o início de sua sistemática de reajustes diários, em julho do ano passado.

A redução final é de R$ 0,1232 por litro, conforme informações no site da estatal. Desde o dia 24 de outubro, o preço médio vinha sendo mantido em R$ 1,9855. Com a alteração, o preço médio do produto nas refinarias cairá para R$ 1,8623 por litro,

 Selic deve se manter em 6,5%

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) iniciou nesta terça-feira (30), em Brasília, reunião para definir a taxa básica de juros da economia, a Selic. Na quarta-feira(31), às 18h, após a segunda parte do encontro, o comitê anunciará a decisão.

Para instituições financeiras consultadas pelo BC, a Selic deve permanecer em 6,5% ao ano. Em maio, após um ciclo de 12 quedas consecutivas, o Copom decidiu manter a Selic no atual patamar, o menor nível desde o início da série histórica do Banco Central, em 1986.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?