O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI), edição de outubro, registrou alta em todos os 30 setores analisados pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Na comparação com setembro, houve aumento em 13 setores industriais e recuo em 16.

O setor que teve maior pontuação foi o de produtos de borracha (64,8 pontos), seguido por metalurgia (64,5); produtos de minerais não metálicos (64,1); e produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (64).

Segundo pesquisa da CNI, os setores com menor confiança foram os de biocombustíveis (54 pontos); obras de infraestrutura (54,3); equipamentos de informática, produtos eletrônicos e outros (56,7); couros e artefatos de couro (57,4); e produtos de limpeza, perfumaria e higiene pessoal (57,4).

O ICEI varia de zero a 100 pontos. Quando acima de 50 pontos, ele indica confiança por parte do empresariado. Quanto maior for o índice, maior a confiança do setor.

A confiança da indústria se revela como um estimulador do otimismo no país e se mantém na positividade, após ter passado, como o resto do país, pelo intenso pessimismo no começo da pandemia.

Em comparação, após cinco meses de alta na confiança, o setor de serviços seguia no negativo - e voltou a perder confiança este mês.

Com a queda de apenas 0,4 pontos, o indicador, medido de 0 a 200, chegou a 87,5 pontos em uma escala de zero a 200, e continua abaixo do patamar pré-pandemia (fevereiro deste ano), quando registrou 94,4 pontos - já negativo.

BPC

Previstas para acabarem no sábado (31), as antecipações do auxílio-doença e do Benefício de Prestação Continuada (BPC) continuarão em vigor até 30 de novembro.

A prorrogação da medida consta de decreto assinado nesta quarta-feira (28) à noite pelo presidente Jair Bolsonaro.

Segundo o Palácio do Planalto, a medida tem como objetivo evitar aglomerações nas agências durante a pandemia.

Melhorias urgentes

Todos os corredores rodoviários estratégicos de Santa Catarina precisam de amplos programas de melhoria.

Esta foi a tese central defendida pelos engenheiros Ricardo Saporiti e Saulo Noronha, consultores da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) para a área de transporte e logística, durante o segundo dia de oficinas online sobre corredores logísticos e a infraestrutura do estado, nesta quarta-feira (28).

Inflação

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), usado no reajuste dos contratos de aluguel do país, registrou inflação de 3,23% em outubro deste ano. Os dados são da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

A taxa é inferior ao observado em setembro (4,34%). Apesar da queda da taxa, o IGP-M acumula índices de inflação de 18,10% no ano e de 20,93% em 12 meses, de acordo com a entidade.

Malha fina

Um total de 334.338 contribuintes com a declaração do Imposto de Renda Pessoa Física de 2020 retida na malha fina começaram nesta quinta-feira (29) a receber cartas da Receita Federal.

Na correspondência, o Fisco pedirá ao contribuinte que verifique as pendências no processamento da declaração e faça as correções.

"Decisão acertada"

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) entende como acertada a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, de manter em 2% ao ano a taxa básica de juros, Selic.

“A Selic em baixo patamar segue sendo necessária para a recuperação mais célere e sustentada da economia, uma vez que incentiva a demanda e reduz o custo do crédito”, avalia o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade.

 

Telegram Jaraguá do Sul