Modalidade de crédito com taxas que quadruplicam uma dívida em 12 meses, o cheque especial agora tem seus juros limitados. Desde ontem (6), os bancos não podem cobrar taxas superiores a 8% ao mês, o equivalente a 151,8% ao ano.

A limitação dos juros do cheque especial foi decidida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) no fim de novembro. Os juros do cheque especial encerraram novembro em 12,4% ao mês, o que equivale a 306,6% ao ano.

Ao divulgar a medida, o Banco Central (BC) explicou que o teto de juros pretende tornar o cheque especial mais eficiente e menos regressivo (menos prejudicial para a população mais pobre).

Para a autoridade monetária, as mudanças no cheque especial corrigirão falhas de mercado nessa modalidade de crédito.

Conforme o BC, a regulamentação de linhas emergenciais de crédito existe tanto em economias avançadas como em outros países emergentes.

Segundo a autoridade monetária, o sistema antigo do cheque especial, com taxas livres, não favorecia a competição entre os bancos. Isso porque a modalidade é pouco sensível aos juros, sem mudar o comportamento dos clientes mesmo quando as taxas cobradas sobem.

Energia solar

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que não há a possibilidade de retirada de incentivos e de aplicação de taxas sobre consumidores que geram a própria energia por meio de painéis solares.

Ele garantiu que caso a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decida por taxar a geração própria de energia, o assunto será revertido no Congresso.

Crédito imobiliário

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães anunciou que o banco deve lançar em março uma linha de crédito com juro prefixado. Com isso, o cliente pode contratar crédito de 30 a 35 anos e saber quanto vai pagar neste período

Hoje, o banco oferece linhas de crédito corrigidas pela Taxa Referencial (TR) ou pelo índice oficial de inflação, o IPCA. Guimarães disse esperar que a migração entre linhas de crédito imobiliário se multipliquem com o lançamento da terceira opção de financiamento.

Terra de unicórnios

O Brasil fechou o ano de 2019 em terceiro lugar no ranking de países com maior número de novos unicórnios. Os unicórnios são as startups que possuem avaliação de preço de mercado no valor de mais de 1 bilhão de dólares.

As empresas Ebanx, Gympass, Loggi, QuintoAndar e Wildlife foram as responsáveis por colocar o país no top 3 da lista, que contou com 142 novas companhias ao redor do mundo.

A primeira posição do ranking é dos Estados Unidos, que encerra 2019 com 78 novas empresas avaliadas em mais de US$ 1 bilhão.

Gigante da beleza

Com a aquisição da Avon, o Grupo Natura criou a quarta maior empresa de beleza do mundo. O negócio, finalizado na última semana, une duas gigantes do mercado de cosméticos e perfumaria.

Nesta segunda-feira (6), a empresa anunciou os integrantes da sua cúpula: Roberto Marques foi confirmado como o principal executivo, enquanto João Paulo Ferreira ficará à frente da Natura & Co América Latina e Angela Cretu deve comandar a Avon.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul

Facebook Messenger