A aquisição por R$ 87 milhões da unidade de fundição da Menegotti, em Schroeder (SC), pela gaúcha Castertech, parte das Empresas Randon, ajudará a preservar cerca de 400 empregos na cidade. O negócio foi fechado no dia 11 de junho, durante leilão judicial. A análise para aquisição foi feita pela Carpena Advogados, de Porto Alegre, que assessorou no processo de leilão.

Com a compra pela Castertech, a unidade de fundição receberá novo impulso para seguir em operação. A empresa catarinense tem uma capacidade produtiva de fundição de 35 mil toneladas por ano, e os 400 colaboradores serão integrados ao time da Castertech.

A Menegotti Indústrias Metalúrgicas enfrenta recuperação judicial desde 2016. O advogado da Carpena que atuou no processo, Matheus Dieterich E. Brenner, explica que o desfecho positivo para todas as partes, em particular aos funcionários, se deu graças a um mecanismo jurídico que ampliou a segurança do negócio: a Unidade Produtiva Isolada (UPI).

Esta forma de negócio, prevista pela Lei 11.101/05 para aproximar empresas em Recuperação Judicial de potenciais interessados, retira o ônus e as dívidas do acordo de compra – deixando como objeto apenas estrutura de produção. “É um caso em que o processo de Recuperação Judicial apresentou um final feliz a todas as partes envolvidas”, analisa Brenner.

Ao mesmo tempo, segundo a presidente da Menegotti, Pauline Menegotti Horn, a venda da unidade permite que a empresa foque seus esforços na unidade de Jaraguá do Sul e volte a crescer, após um árduo período de recuperação judicial.

"Um dos motivos para a venda da fábrica foi a necessidade de crescer. Tínhamos excelentes projetos nas duas unidades, mas não tínhamos recursos para investir no crescimento das duas e tivemos que tomar a decisão entre uma delas. Seis anos atrás estávamos com resultados muito ruins, chegamos a cogitar vender a unidade quase de graça", explica. .

Expansão

A Koerich anunciou na última semana a expansão de seu centro de distribuição, o KAD, localizado em Biguaçu. O empreendimento figura como um dos mais modernos projetos do Sul do País, inaugurado em 12 de outubro de 2017, em um terreno de 60 mil metros quadrados, com 25 mil metros quadrados de área construída.

Agora, com a primeira ampliação, o KAD recebe uma nova área de 10 mil metros quadrados. Para esta obra, os investimentos superam R$ 10 milhões. Esta nova área possibilita para empresa aumentar em 50% o mix de produtos disponibilizados.

Classificação

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento informou, na segunda-feira (21), que a máquina de classificação de madeira, criada pelo Serviço Florestal Brasileiro (SFB), proporcionará importantes vantagens para o consumidor. A ferramenta fará com que o consumidor possa distinguir qual o tipo de viga está comprando e a utilize da forma mais adequada.

A pasta explicou que a classificação permite eliminar vigas com defeitos não visíveis e proporciona funcionalidade, praticidade, economia e segurança na compra. Esclareceu, ainda, que o momento para recebimento da patente "não poderia ser mais propício", já que o tema de classificação de madeira está há alguns anos em pauta, e voltou a ser discutido recentemente pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que instalou comitê específico de propositura de regulação da classificação de madeira serrada no Brasil.

Mais perigosa

A BR-101 é a rodovia federal mais perigosa do País, segundo dados do painel CNT de Consultas Dinâmicas dos Acidentes Rodoviários, e outras quatro rodovias federais no topo do ranking estão em Santa Catarina ou cortam o Estado. A BR-101 está no topo do ranking, seguido da 116 (2ª), 153 (5ª), 163 (7ª) e 376 (10ª). A BR-101 também está no topo das rodovias federais catarinenses que mais tiveram acidentes com vítimas fatais em 2020.

No universo das rodovias federais com maior incidência de mortes em acidentes no país, SC também se faz presente, desta vez com quatro das dez rodovias, excluindo-se apenas a 376 da lista anterior.