A Secretaria de Saúde de Corupá lançou o Mutirão “Veja+Corupá”. Em uma semana, o governo anunciou que irá atender cerca de 600 pessoas que estão na fila de espera por uma consulta ou exame oftalmológico. Algumas dessas pessoas aguardam desde 2012.  Na coletiva de lançamento do programa, na quarta-feira (1), ao lado do prefeito João Carlos Gottardi (PP) e do secretário de Saúde, Irineu Pasold (PSDB), estava o jardineiro Edemar da Silva, de 34 anos, que recebeu a confirmação de agendamento de consulta para segunda-feira, depois de uma espera de cinco anos.

“Estou feliz que agora vou poder realizar uma consulta no posto de saúde, já que não tinha condições de fazer particular. Esse tipo de ação é muito importante para quem precisa”, disse ele, resumindo o alívio. Uma espera de cinco anos revela descaso do poder público com a saúde de quem depende do SUS. O atendimento do mutirão será realizado pela Clínica de Correção da Visão Ribeirão Preto, no posto de saúde central do município. A Prefeitura pagará R$ 60 por consulta.

Depois de esperar por cinco anos, o jardineiro Edemar da Silva recebeu confirmação da consulta com um oftalmologista. No lançamento do programa “Veja+Corupá”, Edemar com o prefeito João Gottardi (PP), o secretário de Saúde Irineu Pasold e o vice Arno Neuber (PP) | Foto Divulgação/OCP

Depois de esperar por cinco anos, o jardineiro Edemar da Silva recebeu a confirmação da consulta com um oftalmologista. No lançamento do programa “Veja+Corupá”, o prefeito João Gottardi (PP), o secretário
de Saúde Irineu Pasold e o vice Arno Neuber (PP).

No balanço apresentado à imprensa, Gottardi e Pasold afirmaram que o município já conseguiu diminuir também a demanda por consultas cardiológicas, que tinha 380 pessoas na fila e agora tem 30. Eles também prometeram que o mutirão de oftalmologia terá continuidade em 2018, pois ao total hoje são 886 pacientes esperando serem chamados. Além disso, segundo dados do governo, também foi dobrado o número de consultas pediátricas, com a contratação de uma médica para atuar diretamente no posto de saúde. Antes, as consultas ocorriam fora do município. Acompanharam a assinatura do programa o vice Arno Neuber, secretários, o presidente da Câmara, Alceu Moretti, e os vereadores Andressa Fischer e Beto Maia.

Ponto de drogas

Na tribuna da Câmara de Jaraguá do Sul, o vereador Eugênio Juraszek (PP) pediu providências ao governo sobre o local da antiga fábrica de motores Kohlbach. O vereador afirma que as antigas construções estão deterioradas e oferecem abrigo para criminosos e usuários de drogas. Juraszek ainda sugeriu que a Prefeitura aplique uma multa aos proprietários do terreno, caso não o mantenham limpo.

Cosip

A oposição adiou mais uma vez a votação do Projeto de Lei Complementar nº 22/2017, que estende a cobrança da taxa de iluminação pública, a Cosip, a proprietários de terrenos baldios em Jaraguá do Sul. Depois de Ademar Winter (PSDB) e Ronaldo Magal (PSD), quem pediu vistas foi Arlindo Rincos (PSD). Atualmente, segundo o secretário da Fazenda, Marcio Erdmann, existem cerca de 8 mil terrenos baldios no município. O recurso extra que virá com a cobrança dessas áreas será investido em melhorias na iluminação pública. Ao mês, a Prefeitura arrecada cerca de R$ 955 mil com a Cosip.

Pensão aos ex

O vice-governador catarinense, Eduardo Pinho Moreira (PMDB), garantiu no Tribunal de Justiça (TJ) o direito de receber a pensão de ex-governador, mas limitada ao valor que recebem os titulares do cargo - R$ 15 mil. O pagamento estava suspenso em função de uma ação do deputado estadual Padre Pedro (PT). Enquanto isso, a Assembleia Legislativa ainda não tem prazo para votar projeto de lei que acaba com o benefício. O texto já passou por todas as comissões.

PTB lança Grunner

O PTB lançou a pré-candidatura do vereador jaraguaense em primeiro mandato, Marcelindo Grunner, à Assembleia Legislativa. Fica parecendo mais um caso Dória, que ainda nem sentou na cadeira e já quer a rede pra se espreguiçar.

Ideologia de gênero

Na onda do Escola sem Partido, o vereador Jackson Ávila (PMDB) protocolou na Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul projeto de lei que proíbe qualquer temática relacionada à ideologia de gênero nas escolas municipais, públicas ou privadas do município. Na defesa da proposta, Ávila argumenta que o tema está provocando a inversão de valores na sociedade. Questionado pela coluna sobre o que entende por ideologia de gênero, o parlamentar disse que enviaria cópia do projeto e que não gostaria de responder por telefone, pois esse “é um tema polêmico”.

"Provavelmente passa"

O presidente da Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul, Pedro Garcia (PMDB), fala sobre a tramitação de dois Projetos de Lei Complementar que alteram a cobrança do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). O peemedebista acredita na aprovação das propostas, mas diz que a necessidade de emendas ainda será avaliada.

Confira entrevista à coluna Plenário:

Presidente, qual a previsão para a votação do projeto que atualiza a planta de valores?
O texto foi lido ontem (terça-feira, 31), ainda vai passar pelo jurídico e comissões. E por ser Projeto de Lei Complementar não pode ser votado antes de 15 dias, porque precisa ter ampla publicidade. Mas a previsão é que seja votado ainda em novembro.

Mas há clima favorável à proposta?
Provavelmente passa, mas vamos fazer cálculos primeiro. É um tema que gera polêmica, debate. Vamos chamar os técnicos que fizeram a atualização da planta genérica para conversar com todos os vereadores. Também vamos analisar a necessidade de apresentar emenda como fizemos com a Cosip. O positivo foi que a Prefeitura não fez só a atualização, ela baixou as alíquotas para não onerar demais o contribuinte.

Daqui até o fim do ano, qual a pauta principal do Legislativo?
São 14 sessões. Temos que fazer duas exclusivas para o Lei Orçamentária. Uma exclusiva para segunda votação do PPA. Outra para eleição da presidência da Câmara. De projetos temos a atualização da planta de valores e a Cosip de maior relevância.

Está tudo encaminhado para eleição de Anderson Kassner à presidência?
Encaminhado eu não diria, mas há conversas nesse sentido. Você que acompanha sabe bem que essas decisões podem mudar 15 minutos antes da sessão. Mas eu diria que está mais bem encaminhado do que nos outros anos.

Sobre o abono natalino aos servidores, já existe previsão?
Está em estudo ainda. No ano passado, os servidores ganharam R$ 850, penso que em função da crise, R$ 650 seria um valor justo. Economizamos bastante esse ano porque todos fizeram a sua parte. Dos R$ 20 milhões que teríamos direto no Orçamento, vamos utilizar R$ 9,5 milhões. A Câmara de Jaraguá é referência.