A questão do transporte coletivo precisa ser encarada como prioridade do município. É grave a situação, tanto da queda de 5% dos passageiros no último ano, o que ocasionou o anúncio do corte de linhas e, consequentemente, se nada mudar, irá gerar nova baixa de usuários, quanto do novo edital em si. Executivo e Legislativo precisam buscar soluções. Nada será resolvido em um passe de mágica até porque existe uma disputa judicial que aponta que a Canarinho operou no prejuízo, algo em torno de R$ 87 milhões durante a concessão de mais de 20 anos.

O jurídico da Prefeitura contesta o valor, entretanto, ainda não dá para prever qual será a solução. O que o próprio procurador Benedito Noronha admitiu em reportagem da jornalista Adrieli Evarini publicada ontem no OCP é que há uma dívida; ainda não se sabe o tamanho dela e como isso pode impactar sobre as tarifas que, de um lado são insuficientes, segundo a empresa concessionária, para sustentabilidade do serviço e, de outro, pesam no bolso de quem utiliza o ônibus diariamente para se locomover. O discurso simplista de que basta tirar a Canarinho ou então ter outras empresas operando pode agradar a população que espera melhorias, mas uma análise realista mostra que não é tão fácil assim.

Paralelo ao trabalho de formatação do novo edital, que está em análise no Tribunal de Contas do Estado, uma comissão aberta pelo governo no ano passado estuda alternativas. Uma das possibilidades é o município subsidiar uma parte do sistema, principalmente as isenções; resta saber de onde viria o recurso e qual impacto no caixa nos próximos anos.

MANUTENÇÃO DE CICLOVIAS

O presidente da Câmara, Anderson Kassner (PP), voltou a cobrar a manutenção das ciclovias do município. O parlamentar ressaltou que Jaraguá do Sul espera receber R$ 12 milhões para tirar do papel a Ciclovia do Trabalhador, mas defendeu que a segurança deve começar pela manutenção das que já existem, citando como exemplo o percurso que liga os bairros Vila Lenzi e Vila Lalau. Pavimentação com defeito, mato alto e buracos foram os problemas apontados.

MP DE SANTA CATARINA É O MAIS TRANSPARENTE

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) ficou em primeiro lugar no ranking que avalia a transparência nos portais dos 26 Ministérios Públicos estaduais, dos quatro ramos do Ministério Público da União e do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). O chamado ‘’Transparentômetro’ avaliou o Portal da Transparência destas instituições no segundo trimestre de 2017 e mostrou que o índice de transparência do MPSC foi o único a atingir 100% dentre as 31 unidades. Em outra frente, o MP do Estado tem cobrado das Prefeituras e Câmaras de Vereadores também maior transparência em seus portais e a adoção de uma linguagem mais acessível à população em geral.

 USO DA TECNOLOGIA  

Presidente da Câmara de Vereadores de Corupá, Wilson Jean Gessner (PMDB) é um dos autores de indicação para que a Prefeitura implante gradativamente lousas digitais em todas as salas de aula da rede municipal | Foto Divulgação/OCP

NOVO ASSESSOR JURÍDICO NA PREFEITURA DE CORUPÁ

Francisco Hastreiter (PP) assumiu a assessoria jurídica da Prefeitura de Corupá. Ele substituiu José Rossato (PSD). Francisco tem vasta experiência no setor público, já atuou como secretário de Finanças, Administração e Desenvolvimento Econômico em São Bento do Sul, no governo do hoje deputado estadual Silvio Dreveck (PP). Sem alarde, João Carlos Gottardi (PP) vem desde o fim do ano passado fazendo mudanças na sua equipe para imprimir um ritmo melhor de trabalho.

EM FOCO

-  O vereador Adilso Comim (PMDB) saiu de licença de 30 dias da Câmara de Guaramirim para dar oportunidade ao suplente Juarez Lombardi (PPS). O rodízio foi um acordo firmado entre os partidos da coligação que apoiou Nilson Bylaardt (PMDB).

-  Os movimentos sociais, sindicatos e professores que protestaram contra a aprovação do projeto que proíbe o que foi chamado de ideologia de gênero nas escolas ainda não decidiram qual será o encaminhamento. Podem esperar pelo posicionamento do Executivo, ou entrar com recurso alegando inconstitucionalidade da medida antes.

-  No próximo dia 9 de março, em Blumenau, o consultor e estrategista digital Fred Perillo promove o curso “Marketing Político Digital 2018 – da pré-campanha à reta final em 11 passos”. O curso irá mostrar como a  internet e as redes sociais influenciarão nas eleições deste ano, além de apresentar as melhores ferramentas. Fred Perillo atua com marketing político desde 1992 e comunicação digital desde 2008.

-  O presidente do Superior Tribunal Eleitoral (TSE), ministro Luiz Fux, pediu mais prazo para apresentar informações ao Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o voto impresso. A solicitação foi em resposta ao ministro Gilmar Mendes, relator de ação no STF que pede a suspensão da implantação do voto impresso para a eleição deste ano, atendendo à procuradora-geral da República (PGR), Raquel Dodge, para quem a reintrodução do voto impresso “caminha na contramão da proteção da garantia do anonimato do voto e significa verdadeiro retrocesso” para democracia.