Ao afirmar que a administração já alcançou a “média 7” para passar de ano e que agora é o momento do prefeito Antídio Lunelli (MDB) tocar as obras e programas previstos, o secretário de Administração, Argos Burgardt, descartou a possibilidade do governo enviar à Câmara um novo pacote de cortes. “Vai ser um ano mais tranquilo. Conseguimos colocar a casa em ordem”.

O temor de novas medidas de contenção de gastos ronda o sindicato dos servidores municipais, desde a reestruturação financeira promovida pelo governo no início do ano passado.