A prática da promoção de saúde na odontologia vem se desenvolvendo em diversas áreas. Uma delas é a Odontologia do Esporte que tem como interesse garantir a saúde bucal de quem pratica esporte e evitar acidentes que venham a ocorrer durante essa atividade.

O traumatismo desportivo corresponde ao terceiro atendimento de traumas na face, representando um dos mais sérios problemas de saúde pública entre crianças e adolescentes.

As modalidades que mais expõem os praticantes a traumas bucais são:

  • Artes marciais: muay-thai, jiu-jitsu, judô, boxe, karatê, taekwondo, kung-fu, MMA;
  • Esportes radicais: skate, ciclismo, mountain bike, motocross, patinação;
  • Esportes com bola: futebol, basquete, handebol, rugby, futebol americano, vôlei, pólo aquático.
  • Esportes de força: levantamento de peso, musculação, arremesso de peso.

Em função disso, muitos atletas recorrem sabiamente à utilização de protetores bucais, que funcionam como uma almofada, absorvendo o impacto e distribuindo as forças durante o golpe, prevenindo assim, traumas dentários (principalmente incisivos centrais e laterais superiores) e a laceração dos lábios e bochechas.

Protetores para esporte não são todos iguais

A comparação entre os protetores esportivos personalizados, ou seja, sob medida, com protetores pré-fabricados revelam significativas diferenças.

Os pré-fabricados são aquecidos em água e modelados diretamente na boca, não se ajustam com tanta precisão aos dentes, pode-se morder errado durante a confecção e ficar defeituoso, causar uma falsa proteção e grande desconforto, resultando em dores musculares, dentários e distúrbios na articulação temporomandibular, pois a mordida errada gera desequilíbrio oclusal.

Por serem volumosos demais também dificultam a respiração e a fala, prejudicando a performance durante a luta em até 30%.

Já os protetores personalizados são confeccionados em ambiente laboratorial a partir de um modelo personalizado feito pelo cirurgião-dentista, resultando em total adaptação, maior conforto e segurança para o usuário, além de não interferir na eficiência respiratória, ajudando no desempenho físico.

Por não haver contraindicação, nem causar danos, o uso de protetores esportivos personalizados são sempre recomendados.

O protetor personalizado é um aparelho bem mais sofisticado. Para colocá-lo o atleta precisa fazer, no mínimo três consultas com o dentista.

A primeira é um exame clínico para avaliação de suas condições bucais, tipo de mordida, se usa aparelho ortodôntico e outras informações. Nessa fase é feita a moldagem. A segunda e terceira servem para a colocação do protetor e ajustes, caso sejam necessários.

O protetor personalizado é mais caro, porém, o seu custo-benefício é bem superior, pois em caso de acidente, os danos são menores, o paciente diminuirá o risco de precisar de próteses, endodontia e reconstrução de dentes, o que sairia bem mais dispendioso e demorado.

Dra. Kellyn Rengel Bertoldi - Cursando especialização em DTM e Dor Orofacial na Universidade Tuiuti – PR. Graduou-se na Universidade Regional de Blumenau, FURB, em 2002. Desde então, está em constante atualização: Curso de Aperfeiçoamento em Oclusão Clínica – Bauru – SP; Capacitação em Human Body Total Care – Regulador Funcional Aragão – SP ; Capacitação em Harmonização Orofacial; Capacitação em Atingindo a Excelência em Resina Composta; Capacitação Odontologia do Sono na IEO – Bauru SP, membro do DSM Brasil (Dental Sleep Medice), Capacitação em Odontologia do Esporte - RS, Credenciada da Biologix (Monitoramento Digital da Apneia do Sono).