Hoje vou tratar de alguns assuntos muito perguntados quando o casal decide ter filhos: “O que eu posso consumir?” E por isso, vou falar da relação da fertilidade com tabagismo, cafeína e consumo de bebidas alcoólicas.

Primeiro vamos falar sobre a relação com tabagismo. Tabagismo diminui a fertilidade feminina, mas também masculina! Ah, e tabagismo passivo, quando você convive com pessoas fumando no mesmo ambiente, também é prejudicial.

As toxinas dos cigarros aumentam mutações celulares e aumentam o tempo até a mulher conseguir engravidar, além de que torna o ambiente uterino pouco oxigenado o que gera aumento de risco de aborto. Mas você pode pensar: “Ah, mas fulana, beltrana e ciclana fumam e estão grávidas!” Eu disse que diminui a fertilidade, não que torna a pessoa completamente infértil.

Quando se fala sobre consumo de bebida alcoólica, acredito que praticamente todas as mulheres sabem que não é aconselhado na gravidez, mas vale dizer que também não é muito interessante quando se está tentando engravidar.

Como o tabagismo, o consumo de álcool interfere tanto na fertilidade feminina, quanto na masculina, onde pode reduzir a contagem de espermatozóides e aumentar disfunções sexuais nos homens (como, por exemplo, dificuldades em alcançar ereção). Viu como o homem tem que estar tão comprometido a engravidar quanto a mulher?

Estudos definem que entre 5 a 8 doses de bebida alcoólica por dia interferem na fertilidade feminina. Porém, quanto menos, melhor.

Bebidas:

  • Cerveja: não consumir;
  • Vinho: dose de 160ml;
  • Bebidas fortes (“quentes”): 45 ml.

Vale lembrar que na gravidez não existe quantidade de bebida alcoólica considerada segura. Existem alguns estudos que sugerem que um copo de cerveja diário não faria mal, mas outros estudos já falam o contrário. Então, melhor evitar, ok?

Sobre a cafeína, é verdade que seu consumo excessivo está associado a redução da fecundidade. Uma xícara de café contém cerca de 115 mg de cafeína. A maioria dos estudos associa o consumo de mais de 250mg/dia (mais de 2 xícaras ao dia) com queda modesta na fertilidade e aumento do tempo até que consiga engravidar.

Contudo, já li estudos que alegam que seriam necessários 5 xícaras/dia para reduzir a fertilidade. Taxas de abortamento também estão associadas ao consumo excessivo de cafeína - mais que 500mg/dia. Mas, pessoal, não precisa parar de tomar café por completo, não. Só reduzir, ok?

Na próxima edição, vamos falar sobre quando deve ser feito o exame de gravidez. Ficou com dúvidas? Fale com seu médico, e se eu for sua médica, fale comigo. Mais informações no nosso Instagram @drajulianabizatto.

Referências Bibliográficas:

  • Ginecologia de Williams, 2 ed. 2014 • Propedêutica basal da infertilidade Conjugal. Protocolos Febrasgo. 2018

Dra. Juliana Bizatto

(CRM/SC 16684 | RQE 15232)

Endereço: Edificio Blue Chip: rua João Planincheck, 1990 - sala 501, bairro Jaraguá Esquerdo

Contato: (47) 3307 4853 | 9 9154 7387

Redes sociais: Facebook | Instagram