A Fernanda era daquelas pacientes que começava a consulta com um abraço apertado e terminava com outro mais ainda! Este conto de pré-natal começou na época que não existia Covid-19. Bons tempos, que me deixam com muita saudade dos abraços nas minhas pacientinhas.

Mas, um dia esses abraços vão voltar, tenhamos fé! Mas, voltando a Fernanda, vamos começar do início?

A gestação dela foi mais uma daquelas marcadas por um fantasma de perda anterior. E é natural quando isso acontece de ficarmos mais apreensivas, não só a Fernanda, mas como o Guilherme também. E parece que para causar mais controversa, nesses casos aparece um sangramentos vaginais aleatórios só para pirar a cabeça dos pais.

Foram dois sangramentos ao total, no primeiro o medo da Fernanda era palpável, mas logo parou o sangramento, o exame físico estava normal, e o ultrassom mostrava que tudo estava indo bem e a Fer ficou mais tranquila.

Todos respiramos melhor depois do morfológico de 1º trimestre, até eu. No segundo sangramento, a Fernanda já estava mais descolada, sim, sangrou, mas e daí? (Ela é um balde de risos). Mais uma vez o exame físico veio normal, o ultrassom também e nada mais de sangramentos até o final.

Mas com 31 semanas, cólicas estranhas começaram a assolar a Fernanda, o colo estava com 1 polpa, então não eram contrações. Retorno em 1 semana e daí sim, observei que o colo do útero havia se modificado. A partir de então foi repouso, medicação e corticoide para amadurecer o pulmão do Benício.

Deixa eu abrir um parênteses aqui para falar do nome do Beni. Eu sempre acompanho com curiosidade a escolha dos nomes, e devo dizer que a escolha do Benício foi muito engraçada, o Guilherme não estava gostando muito da ideia, mas não teve hipótese, a Fer foi tinhosa e ficou.

Em geral, quando as mães me contam os nomes escolhidos dificilmente mudam de ideia. A partir de então, a Fer começou a me visitar toda semana como já é de praxe, a cada semana aquela dilatação aumentava um pouquinho, mas quando chegamos com 2 centímetros com 37 semanas, as contrações pararam e a dilatação também.

Eu e o Benício conversamos bem sério e ele me escutou. Diz a Fernanda que também conversou com ele, e assim o Be nasceu com 38 semanas e 4 dias, como havíamos planejado desde o início, coisa linda!

Ele nasceu bem e bem gordo. Minha mão quase ficou dentro da barriga da Fernanda, caramba, mais de 4kg! Quem diria que aquela barriguinha escondia tudo isso de bebê?! Nem os ultrassons apontavam para esse exagero de gostosura!

De tanto que pedimos para ele ficar mais no forninho, a massa cresceu demais. Apesar da preguiça inata de todo gordinho, Beni mamou bem e pode ir para casa 2 dias depois da cesária para conhecer seu lindo quarto de bicicletas!

Ferzinha, você realmente vai deixar saudades! (Toda paciente deixa, tá? Antes que role um ciúmes). Nós mais riamos que consultavamos, mas todo ciclo termina para começar outro e agora você vai ser a super mãe do Beni e aposto que ele vai ser muito feliz! Muita luz para vocês, família!