Este é o mote da campanha pelo voto de nossa região. Significa priorizar o voto regional, orientado pelo senso de coletividade. Não basta termos representatividade. É preciso que essa representatividade esteja próxima. Do contrário, não será efetiva.

No domingo (2), os brasileiros irão às urnas escolher, por meio do voto, seus representantes. Temos sustentado nesse espaço editorial que o voto, ou sufrágio universal, em nosso país, é uma herança ibérica, entre tantas, que ao longo dos tempos, tem legitimado os sistemas de governo, hoje uma República Federativa Democrática.

Reiteramos que, nesse momento singular de nossa história republicana, torna-se oportuna uma sóbria reflexão sobre o ato de votar. Embora toda motivação de exercer esse direito seja legítima, é prudente que o exercício do voto se oriente em alguns princípios relevantes como: coerência, responsabilidade, acessibilidade e representatividade.

Garantir a representatividade é entender que todo voto é importante, porém, há uma escala de prioridade nesse processo, fundamentado na proximidade. É preciso considerar que qualquer mudança que se busque numa sociedade, ela se inicia, essencialmente, pelo voto do eleitor, que repercutirá na sua casa, depois na sua rua, no seu bairro, na sua cidade, no seu estado e, por fim, no país.

Motivadas por essa lógica, entidades organizadas de Jaraguá do Sul seguem, nessa reta final, intensificando a campanha institucional para estimular o voto regional, reforçando a importância da presença às urnas como um exercício de cidadania, ao mesmo tempo, visando aumentar a representatividade regional junto à Assembleia Legislativa, Câmara Federal e Senado.

"Por isso, vá às urnas e vote em quem você conhece da região.”