Como já sustentamos aqui nesse espaço editorial, a duplicação da BR-280 é um projeto, ou melhor, uma promessa, bem antiga. Um gargalo que há muito espera ser dilatado como forma de mitigar o estrangulamento viário, aumentar a fluidez e segurança na região, as interações espaciais e, notadamente, impulsionar as atividades produtivas e turísticas.

Ressaltamos também, que a efetivação de tão importante obra para nossa região trilhou, historicamente, um caminho longo, tortuoso, com intermináveis aclives e declives no ânimo político e processo burocrático.

Embora sejam incalculáveis os custos da morosidade, além de vidas ceifadas, finalmente as obras de duplicação do trecho estadual, entre Guaramirim e Jaraguá do Sul, estão em andamento, com previsão de conclusão para abril de 2023. É uma obra relevante de grande importância estratégica, pois trata-se de uma artéria fundamental na malha viária regional, por escoar significativo volume de produção industrial e agrícola, e de grande potencial exportador.

O departamento de engenharia da Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade, responsável pela obra, informou que no momento estão sendo feitos os serviços de terraplenagem, drenagem e fabricação das escamas do viaduto do bairro de Guamiranga e pavimentação das marginais. No entanto, a totalidade das obras do respectivo trecho, que somarão investimento de cerca de R$ 56 milhões, envolvem: sete obras de arte, sendo duas já existentes e que serão duplicadas; a ponte sobre o rio Itapocuzinho e o viaduto sobre a linha férrea; três passarelas para pedestres; uma passagem inferior para veículos; viaduto no Guamiranga e pavimentação de oito marginais.

Este sonho, tornado realidade, representará um novo marco de dinamismo, desenvolvimento econômico e qualidade de vida, em uma região que tanto contribui para o Estado de Santa Catarina e para o Brasil.