Aproxima-se a estação fria do ano, o que para muitos significa sofrimento. Não há como evitar que o clima seja frio, mas há como evitar que o coração também seja frio.

Embora não transpareça a realidade brasileira, aqui em nossa região, a solidariedade tem sido um poderoso antídoto contra o frio. Não cansamos de enaltecer as ONGs, entidades, empresas, poder público, e sociedade em geral, que anualmente se mobilizam em campanhas voltadas contra o frio para proteção de pessoas em situações de vulnerabilidade.

No entanto, sempre haverá alguém necessitado, e esses têm pressa. Encontra-se em execução, a campanha de arrecadação de cobertores, promovida pela Diretoria de Proteção e Defesa Civil e a Secretaria de Assistência Social e Habitação da Prefeitura de Jaraguá do Sul, em parceira com o Jaraguá do Sul Park Shopping.

Quem puder colaborar com essa importante ação, deve se dirigir ao próprio shopping e depositar sua doação na caixa de arrecadação localizada no segundo piso.

Oportuno se faz aqui, um esclarecimento acerca do conceito de doação, alimentado pelo senso comum. Doação, seja de cobertor ou qualquer outro donativo, não pode ser descarte.

Lamentavelmente, o que se observa por parte das entidades arrecadadoras, é uma equívoca fusão do conceito de doar com descartar. Doar é solucionar um problema, uma necessidade.

No inverno as pessoas em situação de vulnerabilidade, não precisam de roupas íntimas, sapatos de salto alto, havaianas, biquinis, trajes de festas. Elas precisam ser aquecidas com dignidade, ou seja, com peças que não sejam sujas, rasgadas ou mofadas.

Doar não é se livrar de algo, mas, solucionar uma carência. E mais que isso, é ajudar a assegurar a dignidade de um semelhante.