O Dia Internacional da Reciclagem é comemorado em 17 de maio. Data esta, instituída pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência, e a Cultura), com o propósito de conscientizar a humanidade sobre a importância do descarte correto do lixo produzido.

De acordo com o Fundo Mundial para a Natureza (WWF), o Brasil produz, anualmente, cerca de 55 trilhões de quilos de lixo. É uma marca expressiva, e lamentável, que nos coloca em 4º lugar no mundo.

Se já não bastasse essa incômoda posição, a triste realidade é que de todo esse lixo, nosso volume de reciclagem é de pífios 1,28%. Significa que, literalmente, jogamos muitos milhões de dólares no lixo todo ano. Recursos que fariam significativa diferença nos escassos orçamentos da educação, saúde, segurança e pesquisas.

Por isso, a sociedade, em todas as suas esferas, precisa incorporar, com responsabilidade, a ideia de que grande parte dos resíduos podem voltar à cadeia produtiva, gerando riquezas e, sobretudo, minimizando os impactos ambientais.

Reportando-se à realidade jaraguaense, a nossa relação com o lixo é muito diferente com a do contexto nacional. Há aqui, um gradativo avanço no processo e logística de reciclagem e tratamento, graças a estreita conexão existente entre poder público, sociedade organizada e cidadãos.

Um exemplo disso é o dinâmico e providencial Programa Recicla Day CDL, que acontece neste sábado (15), e que só neste ano já enviou à reciclagem mais de dez toneladas de lixo eletrônico.

Acompanhe a matéria do OCP, trazendo orientações acerca do correto procedimento de reciclagem e destino do lixo eletrônico tão nocivo ao meio ambiente.