A música é uma linguagem universal. Qualquer ser humano com saúde auditiva pode entendê-la e executá-la. Isso não exclui alguns superdotados, como Beethoven, que depois de surdo ouvia com o cérebro. Ou seja, o mundo é uma constante música. Hermeto Pascoal que o diga. Até do silêncio emana música.

No entanto, a música do nosso cotidiano, aquela que nos move, nos instiga, nos alegra, nos aproxima e nos encanta, pode ser a mesma que proporciona inclusão e pautas importantes para a sociedade. Nessa perspectiva, a música pode envolver e transformar todos indistintamente.

Pode-se dizer que esse é o fundamento do relevante projeto Música Para Todos (MPT) da Sociedade Cultura Artística (Scar), patrocinado por importantes empresas da comunidade, e por meio da Lei de Incentivo à Cultura da Secretaria Especial da Cultura, do Ministério do Turismo e do Governo Federal.

De acordo com a Scar, esse projeto “está em atividade desde 2003 e promove a formação de crianças, jovens e adultos, notadamente de baixa renda, com aulas em 24 instrumentos eruditos e populares, teoria musical, canto coral e práticas de conjunto.

O resultado desse trabalho é levado à comunidade em apresentações mensais de Práticas Artísticas e Mostras Didáticas semestrais, entre elas, o espetáculo de encerramento Sons do Brasil.”

Agora, esse projeto que democratiza o acesso gratuito à arte e cultura para todos, está com as inscrições abertas, com 160 vagas disponíveis, em 23 modalidades: acordeão, baixo elétrico, bateria, canto, clarinete, contrabaixo, fagote, flauta doce, flauta transversal, guitarra, harpa, musicalização, oboé, percussão, piano, saxofone, teclado, trompete, trombone, tuba, viola, violão, violino e violoncelo.