"Inovadora e promissora, assim é a engenharia de software"
"Inovadora e promissora, assim é a engenharia de software"

Ainda precisamos dizer mais algo sobre a digitalização ser um caminho sem volta? Sobre a importância gigantesca da tecnologia em nosso cotidiano? A gente sai de casa, liga o GPS para ver o melhor caminho. Quer falar com alguém, acessa uma rede social. Está com fome, pede algo por aplicativo. Para que todas essas funcionalidades pudessem ser postas em prática e facilitar o nosso cotidiano, houve um trabalho prévio de programação.

Não é por acaso que a engenharia de software consta em segundo lugar em ranking divulgado recentemente pelo site de empregos Indeed sobre cargos em alta no Brasil. Entre 2018 e 2019, o crescimento na procura pelo profissional foi de 167%.

Conforme a Abes (Associação Brasileira das Empresas de Software), o Brasil ocupa o 9º lugar no ranking mundial de investimentos em TI (software, hardware e serviços). A entidade afirma que os investimentos no segmento foram de US$ 47 bilhões no último ano computado (2018), um crescimento de 9,8% em relação ao ano anterior. Já a Brasscom (Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação) constatou por meio de estudo que o mercado de TI no País precisará formar anualmente cerca de 70 mil profissionais até 2024.

Os números evidenciam uma necessidade exponencial. O engenheiro de software desempenha um papel estratégico na área de tecnologia, desenvolvendo softwares para ambientes diversos. Ele desenha e testa novos programas, além de fazer manutenção, revisão e testes. Também pode atuar na área de jogos digitais e sistemas embarcados específicos. Qualquer empreendimento que lide diretamente com recursos computacionais é um possível campo de trabalho para esse profissional.

Entre as organizações que mais contratam estão as da área de desenvolvimento, startups e fábricas de software. A “carreira solo” é outro caminho, ao atuar como autônomo para prestar serviço de consultoria, produzir e testar softwares, criar novas aplicações para produtos já existentes ou gerenciar projetos.

A Católica SC conta com o único curso do estado em parceria com a IBM, tradicional empresa americana de tecnologia. E para garantir que o estudante esteja capacitado para atender às demandas reais do mercado de trabalho, promove projetos e parcerias que aliam teoria e prática e contribuem com o crescimento tecnológico da região.

Uma das iniciativas que garantem a excelência profissional é a Wickedbotz, uma premiada equipe de robótica que participa de competições nacionais e internacionais da área, difunde o conhecimento em TI para a comunidade e desenvolve diversos projetos de pesquisa e inovação. Outro diferencial é a fábrica experimental de software, onde os acadêmicos desenvolvem projetos em parceria com empresas interessadas em criar produtos ou serviços inovadores.

O conteúdo programático conta com cadeiras como ferramentas web e ux; programação server-side e matemática computacional. O acadêmico estuda redes de computadores; dados; probabilidade e estatística; projeto, arquitetura, gerenciamento, configuração, processos, manutenção e melhoria de software. É capacitado a desenvolver soluções para dispositivos móveis e web; segurança da informação; inteligência artificial e internet das coisas.

Recebe, também, ferramentas para liderar por meio de conhecimentos adquiridos em softskills, gestão de projetos; administração financeira; direito em informática e governança.

Depois de aprender tudo isso, certamente não faltarão oportunidades em uma profissão inovadora e extremamente promissora.