O convívio com a família, a rotina profissional, os estudos, o lazer, a alimentação, o sono, deslocamentos no trânsito, as consultas médicas e os exercícios. Considerar todas essas variáveis e distribuí-las ao longo das 24 horas diárias representa um desafio contínuo.

Soma-se o fator da limitação no poder aquisitivo de alguns e chega-se a uma preocupante questão: nem todos conseguem conquistar o sonhado diploma.

Conforme a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), apenas 17% dos brasileiros de 24 a 34 anos concluem o ensino superior. O desempenho é 27 pontos percentuais abaixo da média da OCDE.

O percentual se agrava em termos de conclusão do ensino médio, pois 52% da população entre 25 e 64 anos não tem este diploma conforme o estudo “Um Olhar sobre a Educação”. O índice representa mais do que o dobro da média da OCDE.

A educação é um dos pilares para o desenvolvimento de uma nação e torná-la mais acessível é um desafio de todos nós. Uma das ferramentas para ampliar as oportunidades de formação, independentemente do espaço físico, é a educação à distância (EaD).

A modalidade permite que o processo de ensino-aprendizagem seja mediado com o apoio de uma plataforma online, na qual o aluno pode realizar atividades, assistir a aulas e interagir com outros estudantes, professores e tutores.

Conforme o Censo do Ensino Superior, divulgado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), as matrículas de EaD cresceram 375,2% de 2007 a 2017. Em 2017, havia mais de um milhão de matriculados nessa modalidade, o que representava, naquele ano, um de cada três acadêmicos.

A tendência é que os números continuem crescendo. De acordo com estudo realizado pela Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), o número de matrículas deve superar o ensino presencial até 2023.

A evolução gradativa no volume de adesão é reflexo dos diferenciais do EaD. O custo é menor e o acesso ao conteúdo, mais flexível - ocorre independentemente do horário e adequa-se à rotina de cada um.

Para atender à progressiva demanda da população, há TRÊS anos a Católica SC incluiu nas suas opções cursos que permitem o aprendizado de forma remota.

Nesse período, quatro polos entraram em funcionamento, 16 cursos passaram a ser ofertados e 139 disciplinas foram planejadas, envolvendo mais de 75 professores. Em 2019, são mais de 173 turmas gerenciadas com mais de 2 mil matrículas de estudantes.

Os frutos desse trabalho já estão sendo colhidos. Os cursos de Gestão de Recursos Humanos, Tecnologia em Logística, Tecnologia em Gestão Financeira receberam 5, a nota máxima do INEP/MEC.

A classificação levou em consideração atributos como infraestrutura, projeto pedagógico e qualificação do corpo docente. Além da análise de documentação, também ocorreram verificações presenciais. As avaliações atestam a qualidade dos conteúdos programáticos.

Os cursos EAD da Católica SC garantem diálogo constante com coordenadores e professores/tutores on-line. Os estudantes têm acesso a uma série de materiais em diversos formatos, além da Central de Carreiras, que permite a visualização de vagas no mercado de trabalho.

Além disso, há os polos de apoio presenciais nas cidades em que a Católica SC está fisicamente presente: Jaraguá do Sul, Joinville, Itajaí e Florianópolis. Neles, há a infraestrutura tecnológica e de pessoal para que os alunos realizem pesquisas, provas e atividades em geral.

É preciso entender também que os cursos na modalidade EaD não são necessariamente 100% à distância. Alguns podem mesclar, em diferentes proporções, também a modalidade presencial. Neste caso são caracterizados como cursos semipresenciais ou híbridos (termos usados no mercado).

Neste sentido, acreditamos que alguns cursos são mais propensos a terem cargas presenciais maiores ou até mesmo outros cursos que só podem ser ofertados na modalidade presencial, como Direito e Medicina.

Para ingressar em um curso EaD, é possível se inscrever com a nota do Enem, por vestibular agendado, transferência ou para cursar segunda graduação. Os valores de bolsa e desconto variam entre 5, 20 e 30%, dependendo da categoria em que o candidato se encaixar.