A Síndrome do Olho Seco é uma doença multifatorial crônica, caracterizada pela diminuição da produção de lágrima ou deficiência em alguns de seus componentes, ou seja, pouca quantidade ou má qualidade da lágrima.

Mas como identificar se seu pet sofre dessa síndrome?

A doença pode ocorrer tanto em gatos como nos em cães, onde é mais comum e fácil identificar, visto que os cães manifestam sinais de desconforto, como coceira nos olhos, secreção esverdeada ou amarelada em abundância, olhos vermelhos e alterações na superfície dos olhos. Então fique sempre de olho.

Algumas raças são muito predispostas a doença, principalmente as braquicefálicas (raças de focinhos curtos). Animais alérgicos também possuem uma alta incidência do olho seco qualitativo e todos os animais de mais idade poderão também apresentar sinais de má qualidade da lágrima, levando a alterações oculares.

Quando não diagnosticada e corretamente tratada, pode evoluir para lesão da superfície ocular e, em alguns casos, acarretar perda da visão.

Mas qual a relação com o uso de ômegas?

Diversos estudos relacionam o consumo de ômega 3 a melhoria na qualidade da lágrima e dos sinais clínicos da doença, pois reduzem a atividade inflamatória do organismo e alteraram o perfil lipídico das glândulas que produzem os óleos especiais que compõem a lágrima normal. Alguns dos componentes do ômega 3 também estimulam a secreção de lágrima. Ele sozinho não é capaz de fazer milagres, mas adicionado à terapia convencional, é um ótimo aliado!

A suplementação em Pets deve sempre ser orientada por um médico veterinário.

Texto Dra. Juliana Bernardo Fischer - CMRV 4564 | Médica Veterinária Especializada em Oftalmologia