OS TEMPOS MUDARAM

Aliás, mudaram muito e para pior!
Se vai ao longe, o tempo em que na condição de crianças, aguardávamos ansiosamente o dia do desfile de 7 de setembro.
Orgulhosamente uniformizados, os representantes dos mais diferentes educandários exibiam suas fanfarras, as apresentações com movimentos exaustivamente ensaiados e tudo para orgulho dos pais e responsáveis. Isso sem falar nos diretores escolares e professores em extase.
Na atualidade, a interpretação de mentecaptos e militantes, transformou a data orgulhosamente brasileira em “demonstrações de fascismo”.
Pobre povo brasileiro que se deixa induzir.
Pobres brasileiros que se deixam acabrestar pelas mãos de ditadores disfarçados de zeladores das Leis.
Sentimento de brasilidade quando contraria interesses, sem dúvidas, está no caminho certo.

OUSADIA

Deve ser o píncaro da ousadia perguntar se alguém sabe o Hino da Independência.
Soa como ofensivo questionar alguém sobre uma estrofe, uma frase sequer.
Os valores, os princípios estão sendo atirados nas latrinas e para resgatar o orgulho brasileiro, ainda que minimamente, precisamos recordar nossas aulas de “canto orfeônico”e que poucos sabem o significado (ou nunca nem ouviram falar) para chegarmos aqui:

Já podeis, da Pátria filhos
Ver contente a mãe gentil
Já raiou a liberdade
No horizonte do Brasil
Já raiou a liberdade
Já raiou a liberdade
No horizonte do Brasil

Brava gente brasileira!
Longe vá, temor servil
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil

Os grilhões que nos forjava
Da perfídia astuto ardil
Houve mão mais poderosa
Zombou deles o Brasil
Houve mão mais poderosa
Houve mão mais poderosa
Zombou deles o Brasil

Brava gente brasileira!
Longe vá, temor servil
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil

Não temais ímpias falanges
Que apresentam face hostil
Vossos peitos, vossos braços
São muralhas do Brasil
Vossos peitos, vossos braços
Vossos peitos, vossos braços
São muralhas do Brasil

Brava gente brasileira!
Longe vá, temor servil
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil

Parabéns, ó brasileiro
Já, com garbo varonil
Do universo entre as nações
Resplandece a do Brasil
Do universo entre as nações
Do universo entre as nações
Resplandece a do Brasil

Brava gente brasileira
Longe vá, temor servil
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil

CAUSA ESTRANHEZA

O fator interessante nisso tudo é que: a ratatulha que torce contra o Brasil, os que menosprezam os símbolos pátrios, ainda ficam por aqui.
Deveriam procurar novos ares, países que lhes agradam.
Vale frisar e muito em tempo sobre o feriado de 4 de julho nos Estados Unidos.
Lá, também é o dia da Independência e comemorado com ruas e parques lotados, fogos de artifício, desfiles.
O estadunidense sente orgulho do Dia da Independência.
Daí, a pergunta:
- O sentimento que nutre o cidadão americano, altaneiro nas liberdades do seu país, cantando loas sobre o orgulho de ser americano, acaso só existe lá?
Por que os que possuem arroubos de protestos não pisoteiam a bandeira americana lá nas terras do Tio Sam?