O que já parecia óbvio por conta da lentidão, agora foi realmente confirmado pela Defesa Civil de Santa Catarina: a finalização das obras de recuperação do km 34 da SC-108, em Guaramirim, vão ficar para o fim de março, ou seja, 95 dias a mais da segunda data de entrega prevista.

Esta notícia que abre 2020 não agrada nem um pouco a população e lideranças políticas e empresariais da região. A obra que iniciou em agosto, seis meses depois do deslizamento naquele trecho da rodovia estadual, estava programada inicialmente para ser finalizada em 11 de novembro.

A primeira prorrogação foi anunciada para 27 de dezembro com a justificativa de que o mau tempo levou ao atraso das obras. Esta é segunda vez que a obra é prorrogada para infelicidade dos motoristas que utilizam a estrada e os moradores da região de Guaramirim.

Em nota enviada pela assessoria de imprensa da Defesa Civil de Santa Catarina foram elencados os motivos pelos quais a data de entrega da obra sofreu alteração. Conforme a informação do governo do Estado, a empresa contratada realizou solicitação de prorrogação de prazo pelos seguintes fatores:

1 - Altos índices pluviométricos registrados no mês de dezembro que impediram o avanço dos trabalhos (foi constatado que 60% dos dias no período foram impróprios para a execução da obra).
2 - Deslizamentos na encosta provocados pela a instabilidade do solo (constatada a ocorrência de deslizamentos durante o período, que acarretaram retrabalho e também uma operação com maiores precauções devido ao risco aos operários);
3- Quantidade de material retirado do local da obra e também de aterro foi seis vezes maior do que a quantidade prevista em contrato (houve discrepância entre o contratado e o efetivamente realizado).

Ainda conforme informações da Defesa Civil do Estado, a encosta onde os trabalhos estão sendo realizados na SC-108 tem risco de deslizamentos e assim que o fator de segurança permita, haverá a liberação do tráfego de veículos leves no local. “A Defesa Civil de Santa Catarina ressalta que o principal objetivo da intervenção é levar segurança aos moradores e às pessoas que trafegam pela SC 108”, encerra a nota.

Consultado, o prefeito de Guaramirim Luís Antônio Chiodini (PP) demonstrou sua insatisfação com uma prorrogação da obra. “Isto não era para acontecer, os prazos deveriam ter sido obedecidos. As desculpas foram desde o atrasado no pagamento até o mal tempo. Essa lentidão não é compreensível”, comentou o prefeito.

Segundo ele, o que resta agora é continuar com a atenção para que a obra ocorra dentro do novo prazo estipulado e que principalmente seja de qualidade.

“Assumimos nosso papel de manter transitáveis as ruas do interior e outras usadas como desvio. Espero que o governador cumpra com sua palavra de enviar recursos ou subsídios, depois que esta obra fique pronta, para compensar os gastos que as prefeituras de Guaramirim e Jaraguá tiveram por conta da utilização de ruas das duas cidades para o desvio do trânsito da rodovia interditada desde fevereiro do ano passado”, desabafou.

CURTAS

Recursos

A Rede Feminina de Combate ao Câncer Regional de Jaraguá do Sul vai receber R$ 180,2 mil neste ano da Prefeitura de Jaraguá do Sul, por meio do Fundo Municipal de Saúde (FMS). O recurso foi aprovado pela Câmara jaraguaense em dezembro.

Bombeiros

Os Bombeiros Voluntários de Jaraguá do Sul também vão receber um total de R$ 1,5 milhão por conta da aprovação na Câmara de dois convênios com a Prefeitura. Os valores serão repassados em parcelas mensais.

Pavimentação

A Secretaria de Obras e Serviços Públicos de Jaraguá vai investir R$ 18,9 milhões na pavimentação das Ruas Germano Stricker, Victório Campreghen, Tercilio Demarchi e Neura Maria Prestini, com a implantação de rotatória na Rua Bertha Weege e na Via Verde, com a revitalização da Ciclovia do Trabalhador, com a construção da ponte interligando os bairros Chico de Paulo e Amizade e com o recapeamento das Ruas São Paulo, Roberto Ziemann e Carlos Meier.

A aprovação do crédito ocorreu na última sessão de 2019 da Câmara jaraguaense.

Habitação

O Ministério do Desenvolvimento Regional vai disponibilizar este ano R$ 65,5 bilhões para financiamentos na área de habitação e outros R$ 4 bilhões para obras de saneamento.

A regulamentação dos recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), foram aprovadas pelo Conselho Curador do Fundo. No caso da habitação, mais de 95% dos recursos serão destinados para financiamentos de moradias populares a famílias com renda mensal de até R$ 7 mil – faixas 1,5, 2 e 3 do programa de habitação social do governo federal.

Saneamento

Já o setor de saneamento básico terá R$ 4 bilhões à disposição para a contratação de operações de crédito, no âmbito do Programa Saneamento para Todos. Os recursos do FGTS são para atendimento da categoria mutuários público e privado.

Os projetos podem ser voltados à garantia de abastecimento de água, esgotamento sanitário, manejo de resíduos sólidos e de águas pluviais, redução e controle de perdas de águas, drenagem urbana, preservação e recuperação de mananciais, além de estudos e projetos para o setor. A previsão do governo federal é beneficiar 4,9 milhões de pessoas.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul

Facebook Messenger