Conforme anunciado na semana passada, o prefeito de Jaraguá do Sul Jair Franzner (MDB) realizou na quinta-feira (30) uma reunião on-line com o diretor nacional da empresa de telefonia TIM, Kleber Rodrigo Afrânio. A reunião também teve a participação de outros técnicos ligados à diretoria da empresa e, por parte da Prefeitura, o secretário da Administração Douglas Conceição, e o chefe de Gabinete João Berti.

A conversa foi motivada pelo furto de equipamentos da telefônica na semana passada e após o prefeito ter recebido ligação do diretor da TIM falando sobre o caso. Jair Franzner aproveitou para agendar a reunião por conta das reclamações sobre o sinal da operadora no município. Ele chegou a abrir uma caixa de sugestões em rede social, onde recebeu dezenas de pedidos de clientes da operadora e reclamações sobre o sinal em algumas regiões do município.

O prefeito disse ter ficado satisfeito com o encontro, mas principalmente com as novidades que a TIM deve trazer para Jaraguá do Sul no ano que vem. Segundo ele, a empresa informou que a partir de fevereiro de 2024, o município vai começar a receber o sinal 5G da TIMe que até junho de 2024 Jaraguá terá cobertura completa da operadora.

De acordo diretor nacional da empresa, a questão do ‘apagão’ do sinal na semana passada está resolvida, mas que agora está sendo feita a troca de cabeamento na cidade para substituição dos atuais por fibra ótica. A empresa garantiu ao prefeito que o sinal vai melhorar consideravelmente nas localidades que têm mais dificuldade de sinal.

 

Projeto para pagamento de impostos por Pix passa na Comissão de Finanças da Alesc

A Comissão de Finanças da Assembleia Legislativa aprovou, esta semana, parecer do deputado estadual Antídio Lunelli (MDB), ao projeto de lei 28/2023, que permite que o contribuinte pague impostos, taxas e contribuições com o governo do Estado, por Pix. A matéria é de autoria do deputado Matheus Cadorin (Novo). No parecer aprovado, Lunelli argumentou que não existem entraves financeiros ou orçamentários para a execução da iniciativa, que já vem sendo aplicada em estados como São Paulo e Mato Grosso.

Ainda de acordo com o parlamentar, o projeto atende o anseio da população pela “facilitação, rapidez e comodidade” no pagamento, favorecendo ainda a administração pública com a “redução de custos e na eficiência da arrecadação”.

“O governo precisa acompanhar o avanço da tecnologia para facilitar a vida do cidadão e também para diminuir os custos da máquina pública. Estamos atrasados em relação à iniciativa privada, precisamos avançar”, defendeu Lunelli. Agora, a matéria será apreciada em plenário.

 

Frente parlamentar defende R$ 15 milhões para os Bombeiros Voluntários

Os coordenadores da Frente Parlamentar de Apoio aos Bombeiros Voluntários, deputados Dr. Vicente Caropreso (PSDB) e Matheus Cadorin (Novo), protocolaram emenda coletiva ao projeto de lei que fixa o orçamento do Estado para 2024 destinando R$ 15 milhões para financiar as atividades dos bombeiros voluntários.

Emenda com o mesmo objetivo também foi apresentada ao projeto que trata do Plano Plurianual (PPA), que fixará as ações do governo estadual para os próximos quatro anos. Nesse caso o valor da emenda é de R$ 60 milhões. Ambos os projetos estão em tramitação na Assembleia Legislativa e serão votados até o fim do ano. A meta é garantir previsibilidade de recursos para financiar as atividades das 32 corporações voluntárias existentes no Estado. Segundo Caropreso, é preciso garantir segurança financeira para que essas corporações sigam desenvolvendo com eficiência o trabalho fundamental de atendimento de emergências, combate a incêndios e prestação de socorro à população. Juntas, essas corporações reúnem cerca de 5 mil bombeiros voluntários e atendem 50 municípios, o que corresponde a uma população de R$ 1,7 milhão de catarinenses.

 

Petrobras

Assembleia de acionistas da Petrobras aprovou na quinta-feira (30) mudança no estatuto da empresa que abre possibilidade de indicações de políticos para membros da alta cúpula. Mas para isso, a Petrobras deve levar em consideração uma decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) que impede que a companhia registre determinadas alterações em sua política de indicações de cargos para a alta cúpula, até que o órgão julgue denúncia de irregularidades. O movimento da companhia para alterar o estatuto foi entendido por alguns agentes do mercado como uma forma de afrouxar regras de governança instituídas nos últimos anos, após a Petrobras ter sofrido com um amplo escândalo de corrupção envolvendo políticos e partidos políticos, assim como grandes companhias e empresários.

@@@