A entrega de ofício pelo prefeito Antídio Lunelli, na sexta-feira (6), ao presidente Jair Bolsonaro, durante visita a Joinville, pedindo atenção para o andamento e conclusão da obras de duplicação da BR-280, foi um ato em nome de toda a população da nossa região.

A conclusão desta rodovia é um pleito urgente e o que se espera é que não vire uma novela como foi para a duplicação da BR-101 que levou mais de duas décadas.

A principal solicitação não é apenas uma demanda de Jaraguá do Sul, mas de todos os municípios do Vale do Itapocu e da região Norte catarinense, que é maior aporte de recursos para as obras de duplicação da BR-280.

“Precisamos de um retorno positivo para que essas obras sejam definitivamente concluídas. Pedi para que se fizesse justiça e que Santa Catarina tenha a atenção que merece. Este investimento na BR-280 é tão pequeno perto do quanto o Estado encaminha para o governo federal que chega a mais de R$ 70 bilhões por ano e temos um retorno que não chega 20% ”, comenta Lunelli.

O apelo do prefeito é de toda uma região em que o setor produtivo que se utiliza da BR-280 para o escoamento da produção e, com a duplicação concluída, com certeza teremos mais desenvolvimento para a região e menos acidentes e vidas perdidas numa pista simples que oferece o mínimo de segurança.

Em resposta a Lunelli, o presidente Bolsonaro disse que vai entregar o ofício ao ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas e pedir atenção especial para esta demanda.

R$ 2 milhões

O deputado federal Carlos Chiodini (MDB) esteve na sexta-feira (6) em Corupá, onde durante encontro com o prefeito Luiz Carlos Tamanini (MDB), anunciou a liberação de R$ 2 milhões para o município.

Segundo o prefeito, os recursos serão investidos na pavimentação de um trecho da Rua Felipe Schimdt, na Vila Izabel; asfaltamento da Rua Guilherme Melchert, no bairro Seminário; pavimentação da estrada principal do bairro Pedra D’Amolar; no Museu do Seminário; no asfaltamento da Rua Ano Bom, no trecho até o Portal de divisa com São Bento do Sul; e no término da pavimentação da Rua Padre Gabriel Lux, acesso ao Seminário Sagrado Coração de Jesus.

Fogos

Foi aprovada em 1ª votação, esta semana na Câmara Municipal, o projeto de lei que pretende proibir a queima, a soltura e o manuseio de fogos de artifício, artefatos pirotécnicos, rojões e foguetes que causem poluição sonora, como estouros e estampidos, em Jaraguá do Sul. De autoria dos vereadores Anderson Kassner (PP), Jair Pedri (PSD), Jeferson Cardozo (PSL), Jonathan Reinke (Podemos) e Nina Santin Camello (PP), a proposta ainda precisa passar pela 2ª votação. As proibições impostas pelo projeto de lei aplicam-se aos eventos públicos e privados, sejam abertos ou fechados.

Jair Pedri acrescentou ao rol de beneficiados as pessoas que estão hospitalizadas e passando por dificuldades de saúde, que precisam de descanso, mas sofrem bastante com a perturbação causada pelas explosões.

Proibições

Os parlamentares aprovaram uma alteração no texto original da matéria, excluindo as festas das sociedades de tiro, das igrejas e dos templos religiosos dessas proibições. A justificativa apresentada por eles é de que a proibição não pode afetar o tradicionalismo local, “mas sempre recomendando o uso do material sem estampido”.