Quantos anos tem sua coluna? Esta é uma pergunta que sempre faço quando alguém reclama que sua coluna dói ou trava em determinados movimentos. Você já parou para pensar se nesses anos todos, você fez alguma coisa por ela?

Talvez tenha feito muito sim. Usado ela para te levar de um lugar para o outro, para te manter estável enquanto dirigia, estudava, assistia um filme na TV. Sua coluna também te manteve em pé algumas horas da sua vida em filas, em shows.

Aquela pilha de ossos, ligados por pequenos músculos, cheios de nervos passando por eles, cartilagem, que tenta ser totalmente flexível, mas também estável. A coluna dá sustentação aos nossos membros e mantem nossa cabeça suspensa.

Protege a medula, os nervos, sustenta todo o peso do corpo e tem papel essencial no movimento de braços e pernas na nossa locomoção. As vezes busca através de adaptações se ajustar, pois, ela sofre. Sofre porque precisa movimentar a cabeça, o tronco e a lombar.

Sofre porque absorve forças, seja do trabalho ou de cargas que insistimos em colocar sobre ela. A coluna sofre e vai se modificando, perdendo as curvaturas ou as aumentado para não deixar o seu dono cair. Usufruímos tanto dos seus serviços que não nos damos conta de que ela precisa de cuidado, de prevenção, de manutenção e em alguns casos extremos, trocar algumas peças.

É possível cuidar da sua coluna, do seu corpo, enquanto você é capaz de se movimentar normalmente, sem dor ou limitação. Você pode proporcionar ao seu físico uma idade muito menor que a sua identidade, você pode cuidar e ser gentil com os seus músculos, ossos, cartilagens, órgãos, ..., que estão aí funcionando por você.

Quando já não é mais possível prevenir, faça manutenções constantes para voltar a ter capacidade motora e voltar o mais próximo possível do funcional. Se a coluna já está com idade superior à sua idade, tenha certeza que todos os males referentes às dores de coluna têm tratamento. Talvez sua genética não te ajude muito, mas é possível amenizar os problemas.

Todos nós, sem exceções, devemos tomar alguns cuidados para evitar que a coluna sofra tanto. Use um colchão e um travesseiro adequado, evite saltos tão altos o tempo todo, cuide de sua postura, não carregue tanto peso, mas principalmente faça exercícios físicos. Faça Pilates. Eu sou defensora declarada do Pilates sim, pois conheço na minha coluna todos os seus benefícios, mas você pode fazer outras atividades que te proporcionam bem-estar.

Escolha profissionais qualificados, não entregue sua joia preciosa na mão de qualquer um. O importante é você tomar uma atitude por decisão sua, antes de ser obrigado a reagir. Entenda os sinais e desperte o interesse por você.

Não permita que a falta de atenção seja o definidor da sua idade. Precisamos de agilidade e movimento, precisamos de uma coluna jovem e feliz. É neste momento que a pergunta deve ser respondida, a sua coluna está com a idade cronológica ou com a idade biológica?