Bioquímica, fisiologia, aspectos emocionais, cognitivos… todos os sistemas do corpo interagem
e estão relacionados. É baseado nesse diálogo, dentro de cada um, que a nutrição funcional trabalha. Este método tem fugido das linhas tradicionais de atendimento e tratamento, onde o foco é a individualidade do paciente, e não apenas a contagem de calorias.

Em uma realidade onde alguns alimentos são exaltados e outros discriminados, na nutrição funcional entende-se que não existe um alimento bom ou dieta ideal para todos, afinal um mesmo alimento ou plano alimentar possui diferentes comportamentos em cada organismo.

A nutricionista Bárbara Gasparetto é especialista no assunto, e é uma das profissionais a atender com o método em Jaraguá do Sul e região.

Ela explica que antes de determinar um plano alimentar para o paciente seguir, é feito um estudo profundo sobre o paciente, buscando informações referentes à rotina da pessoa, seu meio social, relação familiar e no trabalho e a qualidade do sono.

É analisado também o nível de atividade física, queixas (dores de cabeça, queda de cabelo, imunidade baixa), fatores genéticos e ambientais (como doenças na família), funcionamento intestinal e outros hábitos associados à alimentação.

A avaliação da composição corporal também é essencial. O diferencial da nutricionista, é a avaliação por meio da bioimpedância, um aparelho que, além de avaliar o peso, estima o estado de hidratação, gordura, massa muscular e metabolismo basal.

Foto por Piero Ragazzi/OCP News

Os exames bioquímicos também são requisitados para avaliar as deficiências nutricionais, alergias e outras condições. Tendo em mãos todos estes dados, é traçada uma conduta nutricional, que levará ao plano alimentar ideal.

“Mas mesmo que o objetivo do paciente seja perda de peso, por exemplo, muitas vezes detecta-se diferentes gatilhos que contribuem para a melhoria de outros fatores, como desequilíbrios nutricionais e hormonais, alterações imunológicas e comportamentais, entre outros”, explica.

Portanto, o plano alimentar não estará focado apenas na perda de peso, mas sim, em corrigir esses desequilíbrios e proporcionar melhor qualidade de vida. Também pode ser aplicada na área esportiva, trazendo uma série de benefícios na busca por melhores rendimentos e resultados.

Método aplicado no esporte

Levando em consideração esse processo e os benefícios da nutrição funcional, o método também tem sido aplicado no esporte. Amadores e atletas estão em constante busca por melhores rendimentos mas, para desenvolver uma conduta nutricional para essas pessoas, é essencial conhecer a fisiologia e bioquímica do exercício.

O plano alimentar varia conforme a modalidade, em qual ciclo de treinamento o atleta se encontra, fase de competição, composição corporal e nível de adaptação.

Considerando isso, o nutricionista esportivo precisa adequar o plano alimentar conforme a demanda energética da modalidade, assegurar o nível de hidratação, recuperação para a próxima sessão de treino; evitar queda da imunidade, evitar lesões, prevenir queda no rendimento e melhorar funcionamento intestinal.

“Por isso, o atleta que possui o suporte de um nutricionista esportivo, com certeza apresenta maiores vantagens, pois não existem regras para uma mesma modalidade, tudo depende da situação em que o atleta se encontra”, complementa Bárbara.

Ela ainda destaca a importância da troca de informações entre o atleta, o nutricionista e o educador físico para a periodização nutricional e, consequentemente, para o máximo de performance e rendimento do atleta.

Foto por Piero Ragazzi/OCP News

Onde encontrar: Bárbara Gasparetto. Rua Barão do Rio Branco, 805, no centro de Jaraguá do Sul. Entre em contato através dos telefones: (47) 9 9632 4858 | 9 9987-9817. Ou pelas redes sociais: Facebook e Instagram