Ouvir é uma das dádivas do ser humano. A audição possibilita novos aprendizados, sentimentos e experiências. Apesar disso, cerca de 360 milhões de pessoas no mundo sofrem com algum tipo de perda auditiva incapacitante, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Assim como os óculos ajudam a corrigir problemas de visão, os aparelhos auditivos auxiliam na correção de problemas auditivos, proporcionando melhoria na qualidade de vida das pessoas. Porém, no caso de aparelhos auditivos, existe ainda resistência ao uso, e muitas vezes é considerado um tabu.

O que muitos não sabem é que hoje os usuários têm à disposição uma gama opções aliadas à tecnologia, que permitem a personalização dos aparelhos a cada rotina, de forma que passam praticamente desapercebidos pelo usuário.

Foto: Matheus Wittkowski/OCP News

Segundo a fonoaudióloga Karyny Mendonça, quem possui algum tipo de perda auditiva passa primeiro pela avaliação de um otorrinolaringologista, cujo diagnóstico definirá a necessidade ou não de tratamento cirúrgico. Caso a cirurgia não seja indicada, o tratamento passa a ser feito por um fonoaudiólogo.

“Depois do diagnóstico, o fonoaudiólogoanalisa o tipo de perda auditiva e estuda as possibilidades, escolhendo dentre as prótese que se enquadram para aquele problema, a que seja mais adequada a cada paciente, levando-se em consideração sua rotina”, explica Karyny.

Tecnologia para facilitar a rotina

Uma das maiores queixas de quem utilizava próteses auditivas há alguns anos, era o barulho em forma de “zumbido” que os aparelhos faziam, causando muito desconforto. Segundo Karyny, a tecnologia contribuiu tanto para o conforto dos usuários, que os aparelhos ficam praticamente imperceptíveis para quem os utiliza.

“Agora as próteses se adaptam automaticamente aos ruídos dos ambientes, tonando a experiência muito melhor e agradável”, conclui.

Além de eliminar os ruídos incomodativos, a tecnologia contribuiu também para facilitar a vida dos usuários. Atualmente já existem próteses com conectividade a Iphones, por exemplo. Funciona da seguinte forma: imagine que você estava em um local silencioso e, de repente, entrou em uma festa com muito barulho. Basta usar o aplicativo e informar o dispositivo, que ele irá adaptar-se ao novo ambiente.

Saiba "ouvir os sinais" da perda auditiva

Embora a principal causa da perda auditiva seja a degeneração por idade, ainda existem casos onde ela acontece em pessoas jovens, e até mesmo em crianças. No caso dos pequenos, os pais devem atentar-se a alguns sinais, tais como: a criança fala muito alto, pergunta muitos “por quês” ou costuma deixar os dispositivos eletrônicos em alto volume.

Foto: Matheus Wittkowski/OCP News

Já em pessoas adultas, o sintoma mais comum é o “escutar, mas não entender”, fazendo com que peçam, com frequência, para repetir algo que lhe foi dito. A principal forma de prevenção é procurar um fonoaudiólogo anualmente para fazer uma avaliação. Isto reduz em quase 100% a possibilidade de desenvolver algum tipo de deficiência.

Curiosidades

  • O lugar da cera é no ouvido, até que um médico diga o contrário. As hastes flexíveis (cotonetes), empurram sujeira para dentro do ouvido e causam infecções;
  • Assim como óculos de “descanso”, as próteses auditivas são capazes de curar doenças, como o zumbido;
  • Além de modelos que podem ser controlados pelo Iphone, existem próteses que funcionam como fones de ouvido para o áudio do celular;
  • O teste da orelhinha identifica problemas auditivos. Ele deve ser feito nos primeiros dias de vida de uma pessoa. E em casos de nascimentos fora do hospital, até os três meses.

Onde encontrar

Anexo ao Hospital e maternidade Jaraguá. Na Rua Motoristas de 1936, 120, no bairro Czerniewicz em Jaraguá do Sul. Telefone: (47) 3274-3007.

Profissional

Karyny Mendonça - Fonoaudiologa.
CRFA3: 9171